Exportações atingem maior patamar para janeiro no BR

Com destaque para commodities, País registrou ganhos de US$ 15,2 billhões com vendas externas

As exportações brasileiras em janeiro atingiram o maior patamar histórico para o mês, com US$ 15,215 bilhões, superando o recorde anterior em janeiro de 2008, de US$ 13,272 bilhões. As commodities foram o carro-chefe das vendas externas, em especial o minério de ferro, cujo preço subiu 144% em 12 meses, e a China lidera em destino das exportações e origem das importações.

As importações também foram recordes para o mês de janeiro, em US$ 14,791 bilhões, superando janeiro de 2008, quando ficou em US$ 12,35 bilhões. O saldo comercial voltou a ficar positivo em US$ 424 milhões no primeiro ano de 2011, depois de dois janeiros consecutivos negativos.

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Alessandro Teixeira, destacou que o resultado de janeiro é "muito bom", uma vez que janeiro, tradicionalmente, é um mês fraco para as vendas externas.

O resultado abre "uma perspectiva positiva de expansão" do comércio exterior para o ano, em especial porque há melhoras nas previsões sobre a recuperação mundial. Ele lembrou que a previsão para as exportações no ano é de crescimento de 13% sobre 2010, devendo atingir US$ 228 bilhões.

O fato dos produtos básicos representarem 43,9% da pauta de exportação, segundo Teixeira, não pode ser visto como negativo. Além disso, o governo discute uma política de incentivo para ampliar a venda de manufaturados. Do lado das importações, máquinas e equipamentos lideraram com 23,2% do total, seguindo-se bens de consumo (18,1%), combustíveis e lubrificantes (10,9%).

Teixeira comentou que a política de comércio exterior do governo Dilma Rousseff prioriza a diversificação de mercados de destino dos produtos brasileiros, principalmente, expansão no mercado asiático. Ele disse que o governo brasileiro ainda não consegue medir o impacto das turbulências políticas no Oriente Médio sobre as vendas de produtos brasileiros.

Fonte: IG