Famílias de baixa renda tem inflação em torno de 0,46%, no mês

O avanço da taxa em setembro foi puxado principalmente pelos alimentos

Foi registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) a taxa de 0,46% durante o mês de setembro. O IPC-C1 mede a inflação para famílias com renda de até 2,5 salários mínimos. A taxa acumulada pelo índice nos últimos 12 meses é de 4,49% no ano e 6,53%.

A taxa de setembro do IPC-C1 é superior à observada em agosto, quando houve estabilidade de preços. No entanto, é mais baixa do que o patamar de 0,49% registrado pelo Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda.

O avanço da taxa em setembro foi puxado principalmente pelos alimentos, que tinham apresentado queda de preços de 0,03% em agosto e passaram a ter inflação de 0,49% em setembro. Um dos itens que mais contribuiu para a alta foram as carnes bovinas, com inflação de 2,81%.

Outros grupos de despesa com aumento da taxa foram: habitação (que passou de 0,23% em agosto para 0,7% em setembro), transportes (de -0,25% para 0,41%), saúde e cuidados pessoais (de 0,2% para 0,42%), comunicação (de -0,93% para 0,03%), vestuário (de -0,48% para -0,11%) e educação, leitura e recreação (de 0,38% para 0,48%).

Apenas o grupo despesas diversas teve queda na taxa ao passar de 0,12% em agosto para 0,06% em setembro.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

Fonte: Terra