FGV: Frutas e carnes ficam mais caras, e IPC-S acelera em agosto

No ano, o indicador acumula alta de 4,17% e, em 12 meses, de 7,10%. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (1º)



O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), acelerou para 0,40% em agosto, taxa 0,09 ponto percentual acima da registrada na última apuração. No ano, o indicador acumula alta de 4,17% e, em 12 meses, de 7,10%. Os números foram divulgados nesta quinta-feira (1º).

Das sete classes de despesa pesquisadas, cinco registraram aceleração de preços, com destaque para o grupo de despesas com alimentação, passando de 0,55%, na semana anterior, para 0,80%, nesta apuração. Exerceram as maiores influências as variações de preços de frutas (de 5,70% para 7,47%) e carnes bovinas (de 1,20% para 1,67%).

Apresentaram comportamento semelhante os grupos vestuário (de -0,63% para -0,33%), saúde e cuidados pessoais (de 0,36% para 0,46%), educação, leitura e recreação (de 0,12% para 0,19%) e transportes (de 0,08% para 0,11%), com destaque para roupas (de -0,56% para -0,33%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,21% para 0,57%), passagem aérea (de -4,09% para -0,94%) e serviços de reparo em automóvel (de 0,31% para 0,91%).

Na contramão, o grupo despesas diversas mostrou queda, passando de 0,04% para -0,04%, influenciado pela variação do preço de alimento para animais domésticos (de -1,06% para -2,02%).

O grupo habitação manteve a taxa de 0,38%, com as principais influências partindo de taxa de água e esgoto residencial (de 0,56% para 0,80%) e empregados domésticos (de 0,77% para 0,63%).

Fonte: g1, www.g1.com.br