Fiat e Chrysler anunciam prejuízos

Chrysler perdeu US$ 4 bilhões desde concordata em junho de 2009

A montadora americana Chrysler, sob o comando da Fiat, perdeu US$ 4 bilhões desde que deixou o processo de concordata em junho de 2009, dos quais 3,78 bilhões correspondentes ao ano de 2009, anunciou a empresa nesta quarta-feira (21). Mas a companhia anunciou que teve um pequeno lucro operacional no primeiro trimestre deste ano. Este é o primeiro anúncio da Chrysler desde a concordata.

Depois de ter registrado um prejuízo líquido de US$ 3,78 bilhões entre 10 de junho e 31 de dezembro de 2009, a Chrysler teve perda líquida de US$ 197 milhões no primeiro trimestre deste ano.

A empresa registrou ainda um volume de negócios de US$ 9,687 bilhões, uma alta de 2,7% em relação ao quarto trimestre do ano passado.

Sergio Marchionne, chefe executivo da companhia e também da Fiat, que controla a Chrysler, disse que a empresa está no caminho certo para ter resultados melhores este ano. A Chrysler afirmou ainda que tinha em caixa US$ 7,4 bilhões em 31 de março deste ano, cerca de US$ 1,5 bilhão a mais que no final de 2009.

Já a Fiat anunciou prejuízo líquido de ? 25 milhões (US$ 34 milhões) no primeiro trimestre deste ano, porém menor que o anunciado em 2009, que foi de ? 410 milhões.

As vendas totalizaram no primeiro trimestre ? 12,9 bilhões, alta de 14,7% em comparação com o valor de ? 11.3 bilhões do ano passado.

O grupo confirmou a meta de alcançar este ano um resultado "próximo do equilíbrio", com um volume de negócios de ? 50 bilhões.

A Fiat deve anunciar nesta quarta o plano de negócios para os próximos cinco anos.

Marchionne disse que 2010 será um ano de ?transição? para a indústria automobilística após passar pela crise econômica mundial. O executivo prevê que as vendas de veículos na Europa caiam 15% - menor nível desde 1994.

Marchionne disse que investirá mais de ? 8 bilhões em fábrica de equipamentos e desenvolvimento de veículos nos próximos dois anos, com o lançamento de 17 novos modelos e atualizações em 13 que estão na linha de produção. Segundo ele, dois terços dos gastos serão na Itália, onde a Fiat planeja aumentar a produção para entre 800 mil e 1 milhão de carros ? atualmente a produção é de 650 mil veículos.

Fonte: g1, www.g1.com.br