Fim de ano abre duas mil novas vagas de empregos nas lojas de Teresina

As luzes natalinas que decoram a cidade a partir de dezembro são sinal de aumento nas vendas

Para quem procura emprego em Teresina, o final do ano já chegou. Tanta antecedência tem motivo. As luzes natalinas que decoram a cidade a partir de dezembro são sinal de aumento nas vendas para o comércio local e consequente crescimento no número de funcionário para atender ao fortalecimento na demanda de consumo. Segundo o diretor financeiro do Sindicato dos Comerciários de Teresina, José Pereira, apenas na capital deverão ser gerados cerca de 2 mil novos postos de trabalho nas lojas da cidade.

Chance de primeiro emprego ou oportunidade para reconquistar uma vaga no mercado, os empregos temporários se concentram principalmente no comércio, na áreas de vendas. Também são oferecidas vagas em funções como papai noel, fiscal de loja, empacotador, atendente, estoquista, etiquetador, operador de telemarketing, auxiliar de crédito e analista de crédito. O presidente da CDL (Central de Dirigentes Logistas do Piauí), Evandro Cosme, acredita que o recebimento do 13º salário impulsiona o consumo nos últimos meses do ano, culminando com dezembro como líder absoluto de vendas em comparação com os outros períodos do ano.

?O crescimento nas transações comerciais chega a ser 30% superior aos demais meses do segundo semestre. A cadeia do comércio se modifica e a necessidade de mais funcionários cria oportunidades de emprego?, avalia Cosme. Para José Pereira, as empresas começam a selecionar os currículos a partir de outubro, efetivando as contratações em novembro. O trabalho temporário muitas vezes se torna permanente. ?As lojas aproveitam até 10% dos novos funcionários e às vezes dispensam os antigos?, revela.

O presidente da CDL pontua que há um crescimento natural das empresas a partir do final do ano, e os recém-contratados podem ser absorvidos junto com os antigos trabalhadores, sem que hajam demissões. ?É claro que se o temporário for melhor ele vai ficar?, diz. A gerente de recrutamento de uma agência de empregos de Teresina, Tatiane Sobreira, afirma que o perfil procurado pelos contratantes é focado em pessoas com ensino médico completo e acima de 18 anos. A falta de experiência não chega a ser um empecilho para o setor.

?Ter disponibilidade de horário é um dos requisitos das empresas, até porque muitas vagas são para os shoppings?, ressalta a gerente, lembrando que quem quer tornar o posto fixo deve tratar o emprego como se já fosse permanente. ?Ser sempre pontual e demonstrar realmente interesse naquela função são atitudes que contribuem para a efetivação?. O trabalhador temporário não deve desanimar se não conseguir a colocação imediatamente. ?Existem oportunidades futuras em datas como a Páscoa ou Dia das Mães e o comércio está constantemente buscando esse reforço no quadro de funcionários nos períodos de maior demanda?, diz Tatiane.

Vale lembrar que os temporários também possuem direitos, e não devem abrir mão da assinatura na carteira de trabalho. O salário equivalente ao dos funcionários contratados à longo prazo, jornada de oito horas, repouso semanal remunerado, férias proporcionais, 13º salário, proteção previdenciária e vale-transporte são alguns dos direitos assegurados nos contrato com prazo determinado. O aviso prévio e à multa do FGTS, porém, não são válidos.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem), são previstas 123 mil vagas de trabalho temporário para o Natal de 2009 em todo o país. Esse número é 7% superior ao ano passado, quando foram abertas 115 mil vagas. A média de efetivação após a vigência do contrato temporário fica em torno de 17%.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte