Fim do desconto no IPI eleva inflação oficial

Remédios e IPI para carros elevam inflação oficial em abril, aponta IBGE

O reajuste dos remédios, o aumento da alíquota do IPI sobre a compra de automóveis e a entrada no mercado dos novos artigos de vestuário foram os responsáveis pela alta do IPCA de um mês para o outro"Análise do Instituto Brasileiro de Geografia e EstatísticaO Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice oficial de inflação no país, registrou alta de 0,57% em abril, leve elevação em relação ao mês anterior, quando o índice foi 0,52%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítica (IBGE). O IPCA é usado como referência pelo Banco Central para estabelecer metas de variação de preços no país. De acordo com o IBGE, parte dos grupos apresentou desaceleração dos preços no mês, mas "o reajuste dos remédios, o aumento da alíquota do IPI sobre a compra de automóveis e a entrada no mercado dos novos artigos de vestuário foram os responsáveis pela alta do IPCA de um mês para o outro". O reajuste de até 4,83% nos remédios entrou em vigor no dia 31 de março. A redução no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os carros zero quilômetro terminou no começo de abril. Com os dados de abril, a inflação acumula 2,65% no ano, bem acima da taxa verificada nos quatro primeiros meses do ano, de 1,72%. Nos últimos 12 meses, índice é de 5,26%, sendo que em abril do ano passado, era 5,17%. Entre os grupos que compõem o IPCA, desaceleraram: Alimentação e Bebidas (de 1,55% em março para 1,45% em abril); Habitação (0,32% para 0,08%); Artigos de Residência (1% para -0,04%); Despesas Pessoais (0,77% para 0,66%); Educação (0,54% para 0,11%); e Comunicação (0,08 para -0,03%). Os preços subiram entre os grupos Vestuário (0,66 em março para 1,28% em abril); Transporte (-0,54% para -0,08%); e Saúde e Cuidados Pessoais (0,27% para 0,84%).

Fonte: g1, www.g1.com.br