Franquias faturam R$ 103 bi em 2012; veja melhores e piores áreas

Franquias faturam R$ 103 bi em 2012; veja melhores e piores áreas

Os setores com menor desempenho foram Fotos, Gráficas e Sinalização, com expansão de 1,6%

O faturamento total do setor de franquias atingiu R$ 103 bilhões em 2012, crescimento de 16,2% em relação a 2011, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising). Em número de redes, as franquias cresceram 19,4%, saltando de 2.031 marcas para 2.426 no mesmo período.

A área que mais cresceu em faturamento, com aumento de 97,8%, foi Hotelaria e Turismo. Em seguida, Limpeza e Conservação, com 44,5%, e Informática e Eletrônicos, com 32,5%.

Os setores com menor desempenho foram Fotos, Gráficas e Sinalização, com expansão de 1,6%; Negócios, Serviços e Outros Varejos (que inclui postos de gasolina, supermercados, lojas de conveniência, transporte e logística, serviços financeiros, livrarias e papelarias, pet shops e vendas por catálogos), que cresceu 2,6%; e Educação e Treinamento, com 10,3%.

5 áreas de franquias que mais cresceram em 2012


Franquias faturam R$ 103 bi em 2012; veja melhores e piores áreas

Os dados são da pesquisa realizada anualmente com os associados. As franquias também aumentaram sua participação no PIB (Produto Interno Bruto), passando de 2,1% em 2011 para 2,3% em 2012. Em número de empregos diretos gerados, o aumento foi de 12,3%, 103 mil novos postos de trabalho em 2012 em relação aos 941 mil criados em 2011.

Quanto ao número de unidades ou pontos, o segmento expandiu de 93.098 para 104.543. Isso se explica, de acordo com a pesquisa, pela desaceleração no aumento dos aluguéis de imóveis comerciais.

Para Cristina Franco, presidente da ABF, os números revelam a maturidade do setor de franchising. "Crescer acima de 10% a 15% todos os anos, há quase uma década, revela a solidez adquirida pelo segmento", diz.

Comportamento do consumidor influencia crescimento dos segmentos

De acordo com Ricardo Camargo, diretor-executivo da ABF, é considerado normal que o comportamento do segmento de Fotos, Gráficas e Sinalização tenha tido uma performance inferior, pois há uma mudança no comportamento do consumidor neste ramo.

"As pessoas estão deixando de revelar e imprimir suas fotos e imagens fora de casa, impactando diretamente no modelo do serviço. Certamente, haverá uma migração, uma transformação neste formato", declara.

No caso de Hotelaria e Turismo, o que motivou, especialmente, a expansão atípica da categoria foi o ingresso de novos participantes no mercado, como a CVC, que adotou o formato de franquia, trazendo consigo cerca de 700 novas unidades e um faturamento considerável, segundo Camargo.

No segmento de Limpeza e Conservação, o crescimento é explicado pela consolidação da mulher no mercado de trabalho, tendo menos tempo para tarefas caseiras. Como também houve aumento do salário das empregadas domésticas, muitas mulheres trocaram a contratação de empregadas por serviços como os de lavanderia.

Microfranquias passam por acomodação

As microfranquias, negócios com investimento inicial de até R$ 50 mil e faturamento máximo de R$ 30 mil, tiveram crescimento considerado estável em comparação com as franquias tradicionais.

Em faturamento, elas cresceram 22% em 2012 ante 2011, saltando de R$ 3,7 bilhões para R$ 4,5 bilhões. Em número de redes, foram de 336 para 368, uma evolução de 10% no período. Já em unidades, passaram de 12.561 para 13.352, expansão de 6%.

As microfranquias representaram 4,4% do faturamento do mercado de franquias em 2012. Em 2011, eram 4,2%. Considerando as franquias tradicionais, houve uma redução na participação das marcas, passando de 17% em 2011 para 15,2% em 2012. O mesmo aconteceu com o número de unidades, em que a participação foi de 13,5% para 12,8% no período.

Este comportamento se justifica por uma certa acomodação no surgimento de novos negócios e pela evolução de algumas marcas, diz Camargo. "Muitos negócios que eram considerados microfranquias evoluíram e deixaram de ser, quer seja pelo faturamento ou mesmo por um crescimento atípico nesta categoria nos anos anteriores. Era natural essa acomodação."

Para 2013, a ABF espera um crescimento de 16% no faturamento das franquias, de 9% no número de novas redes, de 11% na abertura de unidades e geração de 103.500 empregos diretos.

Fonte: UOL