Fusca é o top dos "fora de linha" mais vendidos no Brasil

A Fenabrave lista uma relação de 100 automóveis e comerciais leves usados mais emplacados em cada mês no País

Apesar de não serem mais produzidos há muito tempo, carros como Fusca, Escort, Monza, Chevette e Kadett continuam tendo um bom desempenho no mercado de vendas de veículos usados. O ranking dos automóveis e comerciais fora de linha mais emplacados no país revela que estes ? e alguns outros carros que não são mais fabricados ? estão mais vivos do que nunca. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), já foram emplacados este ano 106,9 mil Fuscas envolvidos em negócio no mercado de usados.

Em julho, o carro que a Volkswagen lançou há 50 no Brasil (veja a história do carro no vídeo) e parou de fabricar em 1996 (tinha parado em 1986, mas retomou a produção sete anos depois para mais um breve período), arrematou 17,3 mil unidades vendidas. Se o Fusca entrasse no ranking dos carros novos, apareceria em terceiro lugar atrás do Novo Gol e Fiat Palio e à frente do Fiat Mille.

A Fenabrave lista uma relação de 100 automóveis e comerciais leves usados mais emplacados em cada mês. O primeiro lugar da lista é o Gol, da Volkswagen, com 90 mil unidades vendidas em julho. Fiat Uno Mille (49 mil), Fiat Palio (46 mil) e Chevrolet Corsa (35 mil) vêm a seguir. Estes e outros modelos, no entanto, continuam sendo produzidos, portanto a lista não identifica se o carro usado vendido é de um modelo fabricado nos últimos anos ou um exemplar mais antigo.

Já em relação aos carros que já saíram de linha, o ranking mostra que eles ainda seguem fortes no mercado. Além do Fusca, o Ford Escort, que foi fabricado entre 1983 e 2003, tem boa aceitação entre os usados, com 83 mil unidades vendidas no ano. O Chevrolet Monza, que foi fabricado de 1992 e 1996, teve 64,8 mil unidades vendidas este ano, quase 10 mil por mês. Chevette, Kadett, Del Rey, Fiat Tempra e as picapes Ford Pampa e F-1000 completam a lista dos dez primeiros.

A política do governo em reduzir o IPI para carros novos e a dificuldade em obter crédito na compra de usados afetou as vendas dos veículos de segunda mão. Ainda segundo a Fenabrave, o comércio de automóveis e comerciais novos subiu 3,9% no período de janeiro a julho deste ano comparado ao mesmo intervalo de 2008. Já em relação aos usados, as vendas nestes sete primeiros meses caíram 9,21% em relação ao mesmo período do ano passado.

Mas o setor de usados apresenta uma leve reação. Em julho, foram vendidos 13,68% mais automóveis e comerciais leves usados do que junho. Na comparação com julho de 2008, a queda foi de 5,4%, número bem melhor se compararmos a diferença entre janeiro de 2009 e janeiro de 2008 (23,1%).

Fonte: g1, www.g1.com.br