Gasto da classe B com viagens sobe 277% em 10 anos, diz estudo

Gasto da classe B com viagens sobe 277% em 10 anos, diz estudo

Volume de gastos vem se aproximando do registrado pela alta renda

Os gastos da classe média cresceram 277,3% em dez anos, de R$ 4,4 bilhões, em 2002, para R$ 16,6 bilhões, em 2012, segundo aponta pesquisa do instituto de pesquisas Data Popular, divulgada nesta segunda-feira (30).

De acordo com o estudo, esse volume de gastos vem se aproximando do registrado pelos consumidores de alta renda. Em 2002, esses gastos chegaram a R$ 17,4 bilhões e, neste ano, a R$ 26,4 bilhões - aumento de 51,7%. Já entre a baixa renda, a alta nas despesas foi de 121,7%, passando de R$ 2,3 bilhões para R$ 5,1 bilhões, dez anos depois.

Em 2002, considerando todas as segmentações, os brasileiros gastaram R$ 24,1 bilhões com serviços de turismo. Entre as regiões, a Sudeste concentrou o maior percentual de gastos, seguida da Sul e da Nordeste, segundo o Data Popular.

"Esse ano, há a expectativa de que os brasileiros gastem R$ 48,1 bilhões Embora o Sudeste e o Sul apresentem pequenas quedas, continuam liderando o ranking. Mais uma vez seguidos pelo Nordeste e Centro Oeste. As regiões Norte e Nordeste apresentam aumento considerável", disse o instituto, em nota.

Entre os brasileiros que disseram ter intenção de fazer uma viagem nacional nos próximos meses, 60,4% são da classe média, 24,1% da baixa renda e 15,5%, da alta renda. Já para destinos internacionais, a intenção segue maior entre a classe média (52,3%), seguida pela alta renda, 27,7%, e pela baixa renda, 20%.

"A classe média aumentou em 277,3% seus gastos com viagens em dez anos. Viajaram a primeira vez de avião e não pararam mais. Em um ano, são 50 milhões de brasileiros dessa camada social que pretendem investir em voos nacionais. Ainda da classe média, 13,5 milhões pretendem fazer uma viagem aérea ao exterior", Renato Meirelles, sócio diretor do Data Popular.

De acordo com o estudo, é considerado de classe média quem ganha de R$ 291,00 até R$ 1.019,00; de baixa renda, até R$ 290, e de alta renda, a partir de R$ 1.020.

Fonte: G1