Gol lidera alta de vendas na América Latina

Gol lidera alta de vendas na América Latina

Os dados fazem parte de um levantamento feito pela consultoria Economatica

As companhias aéreas brasileiras Gol e TAM tiveram bom desempenho em suas vendas no primeiro semestre deste ano na comparação com outras empresas de transporte aéreo dos Estados Unidos e da América Latina. Os balanços no mesmo período, porém, trazem uma notícia ruim para elas.

Enquanto as brasileiras passaram de lucro no primeiro semestre de 2009 para prejuízo no mesmo período deste ano, as demais companhias fizeram o caminho inverso ou, pelo menos, tiveram poucas alterações em seus balanços.

Os dados fazem parte de um levantamento feito pela consultoria Economatica, que levou em consideração 11 empresas de transporte aéreo regular de capital aberto dos Estados Unidos e América Latina.

Além da Gol e da TAM, fazem parte do levantamento a Lan Chile (única na América Latina sem contar o Brasil com capital aberto, segundo a Economatica) e oito empresas norte-americanas.

Vendas

A Gol foi a empresa que teve o maior crescimento percentual em suas vendas no primeiro semestre deste ano com relação ao mesmo período de 2009. No período, as vendas subiram 24,2% (de US$ 1,48 bilhões para US$ 1,84 bilhões).

Com crescimento de 14,4%, a TAM ficou em quarto lugar entre as onze companhias estudadas (de US$ 2,52 bilhões para US$ 2,89 bilhões).

Balanços

Se por um lado as aéreas brasileiras tiveram bom resultados nas vendas, por outro, os balanços no primeiro semestre não tiveram desempenho semelhante.

O lucro de US$ 435,9 milhões no primeiro semestre de 2009 da TAM virou prejuízo de US$ 117,8 milhões no mesmo período deste ano. A Gol, por sua vez, passou de lucro de US$ 202,4 milhões para prejuízo de US$ 15,5 milhões.

No mesmo período, a chilena LAN Chile manteve seu lucro praticamente inalterado (de US$ 69,6 milhões para US$ 69,8 milhões).

Em valores nominais, a empresa mais lucrativa no primeiro semestre de 2010 foi a norte-americana US Airways, que registrou lucro de US$ 235 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 45 milhões do ano anterior.

Fonte: UOL