Gol tem 45% de voos atrasados ou cancelados nos aeroportos de todo o país

Gol tem 45% de voos atrasados ou cancelados nos aeroportos de todo o país

Dos 398 voos da companhia aérea Gol, 145 sofreram atrasos (36,4%) e 34 foram cancelados (8,5%).

Balanço da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) aponta que, até as 13h desta terça-feira (3), 22,2% dos voos domésticos programados nos principais aeroportos do país sofreram atrasos e cancelamentos. Às 11h, o índice era de 20,3%.

Dos 1.127 voos previstos nesse período, 203 atrasaram mais de meia hora (18%) e 47 foram cancelados (4,2%).

Dos 398 voos da companhia aérea Gol, 145 sofreram atrasos (36,4%) e 34 foram cancelados (8,5%).

Entre os 75 voos internacionais, 13 atrasaram (17,3%) e um foi cancelado (1,3%).

Aeroportos

Em Brasília, dos 93 voos programados até as 13h, 18 atrasaram (19,4%) e um foi cancelado (1,1%).

No Rio de Janeiro, no Aeroporto do Galeão, entre os 63 voos, 17 atrasaram (27%) e quatro foram cancelados (6,3%). No Santos Dumont, foram dez atrasos (13,2%) e dez cancelados (13,2%), dentro do total de 76 voos agendados.

Em São Paulo, no Aeroporto de Congonhas, dos 109 voos, 17 atrasaram (15,6%) e 12 foram cancelados (11%). Em Guarulhos, na Região Metropolitana, entre os 97 voos, 18 sofreram atrasos (18,6%) e três, cancelados (3,1%).

Atrasos

Na segunda-feira (2), passageiros enfrentaram filas e transtornos em vários terminais do país. De acordo com a Infraero, os problemas começaram com atrasos de voos da companhia aérea Gol. Até as 22h, 25,8% dos voos nos principais aeroportos ocorreram fora do horário.

Em nota divulgada na segunda, a Gol informou que os atrasos foram reflexos do intenso tráfego aéreo na sexta-feira (30), quando a empresa teve de transferir algumas partidas programadas do Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, para o Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo.

A assessoria da Gol disse ainda que, na sexta, as tripulações atingiram o limite de horas de trabalho e não puderam seguir viagem. E, além disso, houve aumento no movimento por causa do fim das férias escolares.

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), ligado à Força Aérea Brasileira, disse, por meio de nota,que os atrasos "não têm origem no controle do tráfego aéreo".

Queixas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que sua ouvidoria analisa uma reclamação do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) com 520 denúncias trabalhistas, a maioria por descumprimento de escalas de voo. A agência diz que recebeu o documento há duas semanas, em 15 de julho.

Fonte: g1, www.g1.com.br