Governo admite pela 1ª vez que o Brasil terá crescimento modesto

A estimativa para o crescimento da economia neste ano recuou de 4,5% para 3,8%.

Com a piora da crise financeira internacional, o governo admitiu formalmente nesta sexta-feira (18), por meio do relatório de avaliação do orçamento de 2011 relativo ao quinto bimestre, que sua estimativa para o crescimento da economia neste ano recuou de 4,5% para 3,8%.


Governo admite pela 1ª vez que o Brasil terá crescimento modesto

A previsão do Ministério da Fazenda, porém, ainda está acima da estimativa do Banco Central, que prevê uma taxa de expansão de 3,5% para este ano, e dos analistas do mercado financeiro, que preveem um crescimento econômico de 3,2% para 2011.

Se confirmada, será a menor taxa de crescimento da economia brasileira desde 2009, quando a economia brasileira registrou retração de 0,3% justamente por conta dos efeitos da crise financeira internacional. Em 2008, a economia brasileira cresceu cerca de 5%. Dados do BC já indicam contração do PIB no terceiro trimestre deste ano.

Com a redução da estimativa, o Ministério da Fazenda, responsável pelas previsões do relatório, admitiu pela primeira vez, neste documento, que o crescimento da economia brasileira deverá ficar abaixo de 4% neste ano - algo que o mercado financeiro já previa desde julho deste ano. A Fazenda havia informado, no começo de outubro, que a estimativa seria formalmente reduzida.

O último relatório de avaliação orçamentária, divulgada pelo governo em setembro deste ano, com as previsões do Ministério da Fazenda sobre a economia, ainda registrava, porém, uma estimativa de 4,5% para a economia brasileira neste ano - mesmo diante dos sinais de que a crise financeira seria mais demorada do que o previsto inicialmente. Naquele momento, o mercado já previa um crescimento de 3,5%.

Fonte: G1