Governo eleva em R$ 10 bi meta de superávit primário para 2011

Governo eleva em R$ 10 bi meta de superávit primário para 2011

Valor adicional equivale a cerca de 0,30% do Produto Interno Bruto (PIB) e eleva economia do governo

O ministro da Fazenda Guido Mantega anunciou nesta segunda-feira a elevação do superávit primário do Governo Federal para 2011 em R$ 10 bilhões.

Com isso, a economia do governo no ano salta de R$ 81 bilhões para R$ 91 bilhões. Esse valor adicional equivale a uma parcela entre 0,25% a 0,30% do Produto Interno Bruto (PIB).

Com esse anúncio, o governo espera dar mais munição para que o Banco Central possa reduzir mais rapidamente a taxa de juros Selic, atualmente em 12,5% ao ano, e evitar uma desaleração mais forte da economia do Brasil no segundo semestre e em 2012.

Segundo Mantega, essa medida dará mais solidez para a economia do País e deixará o Brasil em melhor situação para enfrentar um menor crescimento da economia mundial. "A economia mundial vai crescer menos nos próximos dois anos e o Brasil precisa se antecipar para que essa deterioração não atrapalhe os avanços da economia brasileira", disse Mantega em entrevista coletiva, em Brasília.

O ministro esclareceu ainda que essa elevação no superávit primário do governo não se dará com cortes adicionais. "Este ajuste se dá para impedir o aumento de despesas correntes, mas não compromete programas prioritários do governo", afirmou Mantega.

Após o anúncio de Guido Mantega, o Ibovespa ampliou a alta da abertura com a possibilidade de uma queda na taxa de juros, o que é positivo para o mercado de ações ações. Quanto menor a rentabilidade da renda fixa, maior é o espaço para os investimentos em renda variável.

Fonte: IG