Grandes empresas fortalecem economia

Grandes empresas fortalecerão economia do Piauí

Em breve, o presidente da Suzano Papel e Celulose, Antônio Maciel Neto, estará em Teresina, onde estará reunido, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi), com todos os segmentos da indústria e comércio. Ele apresentará a esses segmentos todo o potencial de compra da Suzano. Foi o que informou na última sexta-feira, 7, o superintendente de Projetos Estratégicos do Governo do Piauí, Jorge Lopes.

A Suzano já vem atuando no Piauí, com a plantação de eucalipto, primeira etapa de um projeto florestal de fundamental importância para a produção de papel e celulose. Jorge Lopes disse que a instalação de unidades de empresas de grande porte no Piauí traz novas perspectivas para a economia, que se fortalece com a geração de emprego e renda. Entusiasmado, ele, fala da chegada da Suzano Papel e Celulose; da chegada do Grupo Tomavini, que atuará no setor de produção de frangos na região de Uruçuí, no Sul do Piauí; bem como da expectativa de a Coca-Cola ampliar seus negócios no Piauí, com a possível implantação de uma fábrica para produção de latas de alumínio.

Suzano

As atividades da Suzano no Estado, hoje, se concentram na plantação de eucalipto, etapa inicial de um projeto florestal necessário para a produção de papel e celulose do grupo. A empresa já plantou cerca de 5.500 hectares no Piauí. Este ano serão 38 mil hectares plantados em pelo menos 38 municípios atendidos pelo projeto.

Serão plantados 160 mil hectares de eucaliptos. Essa fábrica terá capacidade de produzir, anualmente, 1,3 milhão de toneladas de celulose, na cidade de Nazária, localizada a 30 quilômetros de Teresina. Os investimentos necessários à construção da unidade industrial estão avaliados em US$ 1,9 bilhão. A celulose será exportada para países da Ásia e Europa. A Suzano já exporta 82% de sua produção de celulose e 43% da produção de papel, comercializado em todo o continente americano e Comunidade Europeia.

Em termos de emprego, serão gerados 2.400 postos diretos de trabalho, somente em relação à base florestal. Cerca de 10.300 empregos indiretos deverão ser criados em função das florestas de eucaliptos espalhadas por 38 municípios. Quanto à fábrica de celulose, a empresa gerará outros 1.100 empregos diretos e mais 4.700 indiretos. Em Barro Duro, Elesbão Veloso e todos os 38 municípios contemplados pelos investimentos da Suzano, comerciantes e a própria população comemoram o fato de a empresa estar incluindo muita gente nesse processo de desenvolvimento.

A origem da história da Suzano Papel e Celulose no Piauí se deve basicamente a uma articulação envolvendo o Governo do Estado e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que lançaram o Programa de Desenvolvimento Florestal do Vale do Parnaíba no Piauí. A ideia propunha uma nova vocação econômica a ser explorada através de investimentos da iniciativa privada. De acordo com o coordenador de Projetos Estratégicos, a chegada da Suzano vai proporcionar desenvolvimento sustentável.

Escola para qualificação

Entre os avanços no campo da educação, o coordenador de Projetos Estratégicos mencionou a construção de uma escola técnica estadual, orçada em R$ 5,5 milhões, através do Programa Brasil Profissionalizado, do Ministério da Educação. A escola está inserida no Plano Estadual de Educação Profissional e será construída na região Sul de Teresina, também com a meta de formar técnicos nas áreas de química, cerâmica, controle ambiental, reflorestamento, etc.

Ainda segundo Jorge Lopes, essa escola técnica terá sua grade curricular orientada pela Suzano Papel e Celulose, interessada em formar técnicos de bom nível no Estado, evitando a importação de profissionais qualificados. Trata-se de um projeto estruturante, pois a Suzano ?tem capacidade de ser um polo dinamizador da economia?, agregando um polo educacional, mas também outros polos de atividade econômica.

Produção de frango será destaque na região de Uruçuí

O coordenador de Projetos Estratégicos, Jorge Lopes, informou que na região de Uruçuí, no Sul do Estado, está sendo instalada uma unidade do Grupo Tomavini, que atuará na produção de frangos. Serão produzidas 6 milhões de aves ao mês. Pelo menos 15 mil frangos serão abatidos por hora.

Haverá, ainda, fábrica de ração e implantação de fábrica de farelo e óleo bruto de soja, sendo que a produção será de mil toneladas de óleo por dia. ?Com a chegada do Grupo Tomavini serão gerados 1,5 mil empregos diretos e 4 mil indiretos?, conta Jorge Lopes, acrescentando que os investimentos dessa empresa no Piauí iniciam agora em 2010.

Fábrica produzirá lata de alumínio

Nesse cenário de novos investimentos no Piauí, a Coca-Cola pretende ampliar seus negócios no Estado, desta vez com a implantação de uma fábrica para produção de latas de alumínio. O projeto foi apresentado ao Governo do Piauí por executivos da Norsa, controladora da Coca-Cola no Nordeste. A empresa deseja fazer parte do programa de incentivo fiscal para atividades inovadoras no Estado.

O projeto representa um investimento inicial de R$ 20 milhões, conforme o planejamento desenvolvido pela Norsa. A fábrica de latas será instalada em Teresina. Com a possível instalação de uma nova indústria ligada à Coca-Cola, seu polo industrial ganhará novas dimensões no Estado, trazendo maiores benefícios econômicos.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br