Greve dos fazendários provoca prejuízo de R$ 50 milhões ao Piauí

Os prejuízos com a greve dos fazendários, que durou 34 dias, chegam a cerca de R$ 50 milhões

Os preju?zos com a greve dos fazend?rios, que durou 34 dias, chegam a cerca de R$ 50 milh?es, somados os preju?zos dos empres?rios, das transportadoras e do pr?prio Governo do Estado, mesmo ficando com as terceiras vias das notas fiscais e tendo sistema de fiscaliza??o nas divisas com os Estado do Cear?, Pernambuco e Maranh?o.

O vice-presidente do Sindicato das Transportadoras de Cargos e Log?stica do Estado do Piau?, Humberto Lopes de Sousa, gerente de Unidade da Termaco Log?stica em Teresina, disse que est?o acumuladas nas empresas de transporte cerca de 3 mil toneladas. Os setores mais prejudicados s?o os dos setores farmac?uticos, de presentes, brinquedos, que estavam fazendo estoque para as vendas de Natal e ano novo, mas tamb?m de material did?tico.

?N?s transportamos de tudo, de medicamentos a cart?es telef?nicos?, afirmou Humberto Lopes de Sousa, calculando em cerca de R$ 10 milh?es os preju?zos das transportadoras. Est?o nas maiores transportadoras de Teresina cargas de confec?es, filtros de ?leo, livros, tapetes, l?mpadas e at? ?rvores, de natal esperando chegar nas lojas. As transportadoras arcar?o com preju?zos dos empres?rios que n?o receberam suas mercadorias dentro do prazo de 30 dias e n?o podem pagar as promiss?rias dos fornecedores por n?o receberam os produtos a tempo para as vendas. Caminhoneiros de S?o Paulo estavam recusando transporte de produtos destinados ao Piau? porque ocorria reten??o de mercadorias nos postos fiscais da divisa piauiense com outros Estados. ?Foi um sufoco?, define o gerente da Unidade da Transportadora Ramos em Teresina, Fernando Henrique.

Os transportadores s?o un?nimes em elogiar a posi??o do secret?rio estadual de Fazenda, Ant?nio Neto, que chegou a dar solu??o para evitar um ac?mulo maior de mercadorias n?o liberadas por causa da greve dos fazend?rios. Uma das solu?es foi a portaria de Ant?nio Neto determinando a libera??o das mercadorias com a reten??o de mercadoria mantendo a terceira via das notas fiscais.

O secret?rio estadual de Fazenda, Ant?nio Neto, acha que qualquer avalia??o dos preju?zos ? precoce e insatisfat?ria porque as terceiras vias ficaram retidas e os impostos ser?o cobrados. ?O pagamento do imposto ser? feito porque houve um entendimento para que as mercadorias fossem liberadas e a terceira via das notas fiscais ficaram retidas para posterior deferimento?, falou Ant?nio Neto.

Ele lembra que n?o ocorreu evas?o fiscal porque as cargas que entraram no Piau? eram anotadas e registradas nos postos fiscais das divisas com os Estados de Pernambuco, Cear? e Maranh?o. ?O fluxo de mercadorias foi acompanhado?, falou Ant?nio Neto.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com