IBGE anuncia queda da produção industrial brasileira após dez altas consecutivas

IBGE anuncia queda da produção industrial brasileira após dez altas consecutivas

O IBGE indicou queda na produção industrial, que vinha seguindo um aumento considerável

A produção industrial registrou queda de 0,2% em novembro frente a outubro, interrompendo uma sequência de dez altas consecutivas, informou nesta quarta-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Trata-se da primeira queda desde dezembro de 2008 --quando a queda foi de 12,7%.

De janeiro a outubro, a produção industrial acumulou ganho de 19,4% desde dezembro de 2008. No acumulado dos últimos 12 meses houve queda de 9,7% e entre janeiro e novembro houve retração de 9,3%, ante o mesmo período de 2008.

Em relação a novembro em 2008, a indústria registrou alta de 5,1%, primeira em 12 meses. Em outubro, a produção industrial havia subido 2,3% sobre o mês imediatamente anterior (dado revisado; a leitura anterior mostrava alta de 2,2%).

A Pesquisa Industrial Mensal demonstra que houve recuo de produção em 15 dos 27 ramos pesquisados em novembro, na comparação com o mês anterior. A principal influência no resultado geral ficou por conta do segmento de veículos automotores, com queda de 2,2%.

Em seguida vêm os segmentos de outros equipamentos de transportes (-7,2%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,9%).

Por outro lado, os principais resultados positivos foram constatados na produção de máquinas e equipamentos (3,9%) e refino de petróleo e produção de álcool (3,5%).

Entre as categorias de uso, os bens de consumo duráveis tiveram queda de 4,8% frente a outubro. Em relação a novembro de 2008, no entanto, houve alta de 26,3%.

A produção de bens intermediários teve alta de 2,1% frente a outubro, e de 5,2% em relação a novembro de 2008.

Já a produção de bens de capital teve elevação de 6,1% frente a outubro, mas teve recuo de 2,5% contra novembro de 2008.

Por fim, a produção de bens de consumo semi e não duráveis caiu 0,6% em novembro, na comparação com outubro. Em relação a igual período em 2008, verificou-se elevação de 1,8%.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br