Imposto maior no cartão deve fazer turista mudar seus gastos em viagem

Imposto maior no cartão deve fazer turista mudar seus gastos em viagem

Imposto maior no cartão deve fazer turista mudar gastos

A decisão do governo de elevar para 6,38% a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre as compras com cartões de débito e cheques de viagem no exterior pegou de surpresa os brasileiros em Nova York.

Uma grande parte dos turistas, que aproveitava a taxa de 0,38% dos cartões pré-pagos (ela é de 6,38% nos cartões de crédito), agora já repensa a forma de pagamento das próximas compras.

Ao sair do Brasil para sua quarta visita a Nova York, a médica Mônica Rente, 51, decidiu que só usaria o cartão de crédito em situações "emergenciais". A ideia era dividir as despesas entre o cartão pré-pago, cheques de viagem e dinheiro.

"Mas eu não trouxe o dinheiro todo, estava pensando em sacar mais. Vou ter que fazer isso agora", disse Rente, que foi alertada pela reportagem na noite de sexta sobre a decisão que entraria em vigor no dia seguinte.

"É um absurdo. Eles deveriam ter avisado com antecedência", afirmou ela, que está apenas no início da viagem de três semanas com o marido e três filhos.

O também médico Adriano Marçal, 51, acessou o site do banco para recarregar seu cartão pré-pago assim que soube do aumento, na noite de sexta-feira. "Mas agora não vai compensar mais usar. Pelo menos no cartão de crédito você acumula milhas."

LONDRES

O aumento do imposto deve fazer a família do comerciante de Brasília Eduardo Amaral, 49, a dar preferência pelo cartão de crédito.

Ele chegou no dia 24 em Londres com a mulher e três filhos. Vão nos próximos dias para Paris, onde ficam até o dia 14 de janeiro.

Abordado pela reportagem na frente da Harrods, maior e mais luxuosa loja de departamento de Londres, ele não sabia da decisão do governo.

Amaral contou que costuma usar o cartão pré-pago para os filhos, enquanto ele e sua mulher preferem o de crédito no exterior. Para essa viagem de fim de ano, priorizaram o dinheiro vivo e, agora, descartam qualquer tipo de movimentação que envolva as novas regras.

E nos próximos passeios, com o IOF mais caro nos cartões pré-pagos, por exemplo? "Talvez até use o cartão pré-pago para as crianças, porque é seguro, mas vou preferir o de crédito e o dinheiro vivo para minhas despesas, porque, se o imposto agora é o mesmo, pelo menos poderei acumular milhagem."

JERUSALÉM

A brasileira Mila Chaseliov, que trabalha em Tel Aviv, foi avisada por um familiar de que haveria o aumento no IOF de seu cartão pré-pago.

Preocupada com a notícia, ela foi a um caixa eletrônico às 2h de sábado (hora local) para sacar o equivalente a R$ 1.000.

Pego no meio de sua viagem ao Egito, Thiago Baudel não teve tempo de se preparar para a mudança. Em geral, ele prefere viajar com um cartão pré-pago, para não carregar dinheiro em espécie.

"Não vou deixar de viajar, mas posso pensar melhor sobre como vou pagar os gastos", afirmou.

Fonte: Folha