Inflação em São Paulo tem leve baixa, alimentos sobem menos

Os custos do grupo Alimentação subiram 0,20 por cento nesta leitura, contra 0,30 por cento na anterior

A inflação ao consumidor em São Paulo teve ligeira desaceleração em meados do mês, conforme maiores preços de despesas pessoais e vestuário foram contrabalançadas por um arrefecimento de alimentos, transportes e saúde.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 0,56 por cento na segunda quadrissemana de maio, ante 0,64 por cento na primeira, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

Os custos do grupo Alimentação subiram 0,20 por cento nesta leitura, contra 0,30 por cento na anterior. Os de Transportes, que vinham sendo pressionados pelos combustíveis, avançaram 0,87 por cento na segunda quadrissemana, ante 1,14 por cento na primeira. Os preços de Saúde diminuíram a alta de 1,59 para 1,36 por cento.

Por outro lado, os preços de Despesas pessoais tiveram elevação de 0,91 por cento nesta leitura, contra 0,88 por cento na anterior. Os de Vestuário aceleraram a alta para 1,13 por cento, após 1,02 por cento.

O dado da segunda quadrissemana mediu os preços de 16 de abril a 15 de maio.

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

Fonte: Terra