Inflação: Mão de obra fica mais cara e custos aceleram, diz FGV

A inflação na construção civil ganhou força em maio, segundo informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (26)

A inflação na construção civil ganhou força em maio, segundo informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (26). O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) subiu 2,03% em maio, mais que o dobro do resultado de abril, quando avançou 0,75%. No acumulado no ano, o índice acumula alta de 4,04% no ano e, nos últimos 12 meses, de 8,18%.

Os preços de materiais, equipamentos e serviços subiram 0,45% este mês, contra 0,36% no mês anterior. Já os preços de mão de obra avançaram 3,70% em maio, mais que o dobro da taxa de 1,16% apurada para a inflação da mão de obra na construção em abril.

Entre os produtos pesquisados para cálculo do indicador, a FGV informou que as mais expressivas altas de preço na construção civil foram apuradas em ajudante especializado (3,72%), servente (3,79%) e pedreiro (3,72%). Já as mais expressivas quedas de preço foram verificadas em vergalhões e arames de aço ao carbono (baixa de 0,94%), placas e cerâmicas para revestimento (queda de 0,58%) e tábua de 3ª (recuo de 0,04%).

Fonte: G1