Infraestrutura: Brasil precisa investir

Infraestrutura: Brasil precisa investir

O Brasil terá de dobrar o volume de investimentos em infraestrutura se quiser manter um crescimento sustentável de 5% ao ano na próxima década. Estudo preparado pelo banco americano Morgan Stanley mostra que, se ficar no nível atual, em pouco tempo o avanço do PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas de um país) será barrado pelos problemas estruturais em portos, ferrovias, aeroportos e rodovias.

Além disso, o País não conseguirá receber, de forma eficiente, eventos como Copa do Mundo, em 2014, e Olimpíada, em 2016.

Nos últimos anos, o volume de investimentos em infraestrutura caiu de 5,4% do PIB, nos anos 70, para 2,1%, na década atual. A redução provocou o sucateamento de vários setores, que começaram a ser pressionados pela demanda mais forte da economia.

Um exemplo são as enormes filas nos portos no período de pico da safra de soja. Sem dragagem nos canais marítimos e expansão do acesso terrestre, os terminais portuários ficaram sem capacidade para atender a demanda. O diretor do Morgan Stanley, Marcelo Carvalho, responsável pelo estudo dedicado à infraestrutura, ressaltou a questão:

- Essa carência de investimentos tem provocado distorções graves para a produção nacional.

Segundo o autor do estudo, a soja produzida em Mato Grosso é altamente competitiva até sair da fazenda. Mas boa parte dessa competitividade se perde no caminho, por causa dos problemas logísticos.

O diretor do Morgan Stanley acredita que o Brasil vai conseguir enfrentar o desafio da infraestrutura e acelerar o volume de investimentos.

Os primeiros sinais para esse otimismo estão nos números do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para o período entre 2010-2013. A estimativa é que o setor receba R$ 274 bilhões, 37% superior ao volume desembolsado entre 2005 e 2008, mostra o estudo.

Fonte: R7, www.r7.com