Investimento externo deve atingir R$ 40 bi

Investimentos estrangeiros devem chegar a quase R$ 40 bi em 2010, diz BC

A retomada do crescimento econômico em 2010, com a expectativa de que a economia brasileira cresça mais de 4%, vai gerar efeitos distintos nas contas do Brasil com o exterior, segundo previsões divulgadas nesta quinta-feira (24) pelo Banco Central.

Enquanto a estimativa para o ingresso de investimentos estrangeiros diretos subiu para US$ 38 bilhões para o próximo ano, com crescimento estimado de 52% contra a projeção de entrada de US$ 25 bilhões em 2009, a conta de transações correntes - um dos principais indicadores das contas externas brasileiras - deve ter uma piora significativa.

Conta de transações correntes Para este ano, a previsão do BC para o déficit em conta corrente, que engloba a balança comercial, os serviços e as rendas, estava em US$ 15 bilhões. Entretanto, neste mês foi revisada para US$ 18 bilhões de resultado negativo, ou 1,3% do Produto Interno Bruto (PIB).

Em 2010, a situação deve piorar ainda mais, quando o déficit em transações correntes, ainda segundo estimativas do BC, deve avançar 61%, para US$ 29 bilhões, o equivalente a 1,76% do PIB.

De janeiro a agosto deste ano, informou a autoridade monetária, a conta corrente registrou um déficit de US$ 9,56 bilhões, com queda de 52,4% frente ao mesmo período do ano passado (-US$ 20,12 billhões). O recuo do déficit está relacionado com o menor volume de remessas de lucros e dividendos ao exterior. Crescimento econômico A piora das contas externas em 2010, segundo informações do BC, está relacionada justamente com a retomada da atividade econômica e seus efeitos: notadamente o aumento das remessas de lucros ao exterior por empresas e a piora do saldo comercial, entre outros.

"Nossa projeção para 2010 estima um aumento [do déficit em conta corrente] em função do nível de atividade mais forte. Está previsto um crescimento expressivo das remessas de serviços e rendas [o que inclui lucros e dividendos] ao exterior. E uma acomodação mais forte o saldo comercial, com o crescimento das importações", disse o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes.

Em 2008, as remessas de lucros e dividendos somaram US$ 33,8 bilhões devido à alta lucratividade das empresas, mas, segundo o BC, deve recuar para US$ 22,3 em 2009 bilhões por conta da crise. Já em 2010, com a retomada de um nível mais forte de atividade econômica, as remessas ao exterior devem voltar a crescer, alcançando a marca de US$ 26 bilhões - e a contribuir para uma piora da conta de transações correntes.

Além disso, a balança comercial brasileira, que também está dentro das contas externas, deve ter um desempenho pior com o retorno de um crescimento econômico mais robusto. Para este ano, a previsão do BC é de um superávit de US$ 27 bilhões (antes estava em US$ 20 bilhões). Mas, em 2010, o saldo positivo, ainda segundo a instituição, deve recuar para US$ 19 bilhões com um aumento maior das importações - ajudando a aumentar o rombo das contas externas.

Investimentos estrangeiros

Para todo este ano, a expectativa do BC de entrada de investimentos estrangeiros foi mantida em US$ 25 bilhões. Se confirmado este valor, haverá uma queda de 44,5% em relação à entrada de US$ 45 bilhões registrada em todo ano passado - atual recorde histórico. Em 2010, porém, os investimentos estrangeiros devem subir para US$ 38 bilhões - valor suficiente para financiar o déficit em transações correntes, previsto em US$ 29 bilhões.

"Voltamos quase que à normalidade em investimentos diretos em 2010. É uma expectativa muito positiva. As sondagens que a gente faz são alvissareiras", disse Lopes, do BC. Segundo ele, os setores que devem atrair investimentos são: mecânico, metalurgia, petróleo e álcool, além do comércio varejista.

"De forma geral, a gente vê uma disseminação por todos os setores", acrescentou o chefe do Departamento Econômico. De janeiro a agosto deste ano, segundo dados do Banco Central, os investimentos estrangeiros diretos somaram US$ 15,87 billhões, o que representa uma queda de 35,4% em relação ao mesmo período do ano passado (+US$ 24,61 bilhões).

Somente em agosto, houve a entrada de US$ 1,9 bilhão em investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira. Para setembro, a expectativa do BC é de um ingresso de mais US$ 2,5 bilhões em investimentos estrangeiros.

Fonte: g1, www.g1.com.br