IPCA registra alta de 0,45% da ""Inflação oficial"" após quatro meses de queda

O IPCA é o índice oficial utilizado pelo Banco Central para cumprir o regime de metas de inflação

A infla??o medida pelo ?ndice Nacional de Pre?os ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta na passagem de setembro para outubro, de 0,26% para 0,45%, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estat?stica (IBGE) nesta sexta-feira (7). O indicador vinha desacelerando desde o pico de 0,79% em maio.

A taxa tamb?m ? a maior desde julho, quando ficou em 0,53%. O IPCA ? o ?ndice oficial utilizado pelo Banco Central para cumprir o regime de metas de infla??o, determinado pelo Conselho Monet?rio Nacional (CMN).

Com esse resultado, o acumulado no ano de 2008 est? em 5,23%. Nos ?ltimos 12 meses, o acumulado situa-se em 6,41%.

Os pre?os dos alimentos foram os principais respons?veis pela alta do IPCA. Com contribui??o de 0,16 ponto percentual, o grupo alimenta??o e bebidas foi respons?vel por 35% do indicador do m?s.

Com o resultado de outubro, os produtos aliment?cios acumulam alta de 10,04% no ano, acima de igual per?odo de 2007, quando haviam ficado em 7,76%.

A press?o nos aliment?cios ficou concentrada nos feij?es (5,66%) - o feij?o preto, por exemplo, passou a custar 7,74% a mais - e nas carnes, que, com alta de 3,61%, foram o item com a maior contribui??o individual no m?s (0,08 ponto percentual).

Para os produtos n?o-aliment?cios, a taxa passou dos 0,42% de setembro para 0,38% em outubro. A taxa do grupo transportes recuou de 0,39% em setembro para 0,02% em outubro, influenciada pelo recuo na taxa da gasolina, de 0,69% para ?0,18%.

A taxa de despesas pessoais tamb?m teve queda, de 0,80% para 0,68%, sendo o item cigarros (de 3,17% para 0,40%) o principal respons?vel pela menor varia??o de setembro para outubro.

Outros itens importantes na despesa das fam?lias, embora ainda em alta, mostraram redu??o no ritmo de crescimento da taxa. Foi o caso dos artigos de limpeza (de 1,84% para 0,72%), de higiene pessoal (de 0,82% para 0,33%) e dos rem?dios (de 0,30% para 0,13%).

Regionalmente, os maiores resultados do IPCA de outubro ficaram com Bras?lia (0,60%), Recife (0,59%) e Goi?nia (0,58%). O menor ?ndice foi o de Belo Horizonte (0,18%).

INPC

O ?ndice Nacional de Pre?os ao Consumidor (INPC), que registra a varia??o de pre?os para fam?lias com renda de um a seis sal?rios m?nimos, apresentou varia??o de 0,50% em outubro, acima do resultado de setembro (0,15%).

No acumulado no ano, o ?ndice situa-se em 5,77 %, superior ? taxa de 3,70% referente ao mesmo per?odo de 2007. Nos ?ltimos 12 meses, o resultado est? em 7,26%, tamb?m acima da taxa de 7,04% dos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2007, o INPC havia sido de 0,30%.

Os produtos aliment?cios apresentaram varia??o de 0,67% em outubro, enquanto os n?o-aliment?cios aumentaram 0,43%.

As regi?es de Goi?nia e Fortaleza apresentaram a maior varia??o (0,69% cada uma) seguidas do Rio de Janeiro (0,68%). O menor resultado ficou com a regi?o metropolitana de Belo Horizonte (0,11%).

Fonte: g1, www.g1.com.br