Municípios já têm mapa socioeconômico

Ipea está centralizando em seu portal informações socioeconômicas de todos os municípios brasileiros

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) está centralizando em seu portal informações socioeconômicas de todos os municípios brasileiros. Para tanto, lança hoje (28) um mapa, que agrega em imagens de satélites, dados de diversos ministérios, institutos, agências reguladoras e organismos internacionais.

"O que estamos lançando é apenas uma primeira camada, que será ampliada à medida que forem surgindo as demandas", explica o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, Erivelton Pires Guedes, que é responsável pela ferramenta. "Portanto, novos indicadores poderão ser incorporados à ferramenta, a fim de buscar mais indicadores sobre cada município do país", acrescentou.

"Também é possível incluir informações sobre fornecedores de produtos e serviços, de forma a ajudar prefeitos a melhor gerir seus gastos. Essa ferramenta aumenta ainda mais a transparência e o acesso à informação", afirma o pesquisador.

Ele utilizou, a título de exemplo, as obras da Copa de 2014. "O mapa poderá ajudar os gestores a acompanhar o andamento das obras de infraestrutura para as cidades-sede", disse. Futuramente, Guedes pretende integrar as obras do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) ao sistema.

Segundo o técnico, apesar de, a princípio, o mapa ser de maior utilidade para pesquisadores, professores e estudantes, ele também será de grande utilidade para o cidadão comum, que poderá, a partir de uma visualização espacial de dados integrados e simplificados, ter acesso a informações de como o estado de uma determinada rodovia ou a acessibilidade de qualquer região do país a aeroportos.

"Ao clicar no município, a pessoa tem acesso imediato a dados relativos à população, saúde, educação, aeroportos, pobreza, rodovias, infraestrutura, território e Produto Interno Bruto de cada município, com origem em órgãos como Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), ministérios, agências reguladoras, organismos internacionais", explica Guedes.

A ferramenta permite, ainda, a criação de mapas temáticos. "Você pode construir um mapa da forma que você quiser a partir de filtragens, ligando e desligando temas e criando novos cruzamentos de dados para compor informações", disse. "E professores podem utilizar o sistema para mostrar como o país está em assuntos como desigualdade de renda", completou.

O acesso às informações são feitas com base em geoprocessamento e incorpora imagens de satélites do google earth e do google map.

Fonte: Terra, www.terra.com.br