Japão terá aumento nos impostos com orçamentos suplementares

O primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, que ocupava o cargo de ministro das Finanças antes de nomeado premiê, também defendeu a elevação dos impostos

O ministro das Finanças do Japão, Jun Azumi, disse que pretende apresentar os planos para um terceiro orçamento suplementar até meados de outubro. O recém-indicado ministro afirmou também ser favorável a um aumento de impostos para financiar a reconstrução do país do terremoto e tsunami de 11 de março.

"Quero fechar um plano de gastos, assim como (de aumento de impostos para financiar a reconstrução) com base nas discussões entre os partidos da coalizão, o governo e a comissão de impostos dentro de um mês para se obter o consenso com os partidos de oposição", disse, hoje, Azumi durante um programa da TV NHK. "Tentarei submeter o plano em algum momento do mês que vem e aprová-lo rapidamente", acrescentou.

O primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, que ocupava o cargo de ministro das Finanças antes de nomeado premiê, também defendeu a elevação dos impostos.

O terceiro orçamento suplementar, que deve somar cerca de 10 trilhões de ienes (US$ 130,19 bilhões) e prevê nova assistência financeira às vítimas do terremoto e tsunami, deve incluir medidas para evitar a apreciação do iene. O novo orçamento suplementar também supera amplamente o segundo orçamento suplementar de 2 trilhões de ienes (US$ 25,46 bilhões), aprovado em julho.

Embora maior do que o anterior, o terceiro orçamento suplementar pode não atender a todas as necessidades, motivo pelo qual Noda tem defendido aumento dos impostos para financiar a diferença e evitar a transferência do déficit para futuras gerações. É possível que seja proposto elevação nos impostos das empresas e sobre a renda. As informações são da Dow Jones.

Fonte: ig.com.br