Juro do crédito cai pela 6ª vez no ano e atinge menor nível desde 95

Taxa do cartão de crédito rotativo – a mais alta – ficou estável. Estudo foi divulgado pela Anefac nesta quarta-feira

As taxas de juros das operações de crédito votaram a cair em agosto, marcando assim a sexta queda ao longo de 2012. Entre as modalidades de crédito, a única exceção foi a taxa do cartão de crédito rotativo ? justamente a mais alta ?, que se manteve estável no mês.

Estas reduções podem ser atribuídas à melhora dos indicadores econômicos e à nona redução seguida da taxa básica de juros (Selic) promovida pelo Banco Central no dia 29 de agosto, segundo a Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), responsável pelo estudo.

De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira (12), a taxa de juros média geral para pessoa física apresentou redução de 0,10 ponto percentual no mês, o que equivale a uma redução de 1,63%, passando de 6,12% ao mês, em julho, para 6,02% ao mês, em agosto. Esta é a menor taxa de juros da série histórica, que teve início em 1995. No ano, a redução foi de 2,29 pontos percentuais, ou 2,20%, passando de 103,97% para 101,68%.

Das seis linhas de crédito pesquisadas, a única que não apresentou redução foi a taxa do cartão de crédito, a mais alta de todas, que se manteve estável em 10,69% em agosto. Na sequência, as taxas mais altas são a do cheque especial (8,05%) e de empréstimo pessoal em financeiras (7,67%).

As três linhas de crédito para pessoa jurídica pesquisadas tiveram redução em agosto. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma redução de 0,09 ponto percentual no mês (1,57 ponto percentual em doze meses) correspondente a uma redução de 2,55% no mês (3,04% em doze meses) passando a mesma de 3,53% ao mês (51,63% ao ano) em julho/2012 para 3,44% ao mês (50,06% ao ano) em agosto/2012. Esta também é a menor taxa de juros da série histórica que, no caso de pessoa jurídica, teve início em 1999. No ano, a redução foi de 2,29 pontos percentuais, ou 2,20%, passando de 103,97% para 101,68%.

Selic

A Anefac destaca que, considerando todas as reduções da Selic promovidas pelo Banco Central desde julho do ano passado, a taxa básica de juros da economia brasileira apresentou, neste período, redução de 5 pontos percentuais ? ou 40% - ao cair de 12,5% ao ano para 7,5%.

Neste mesmo período (de julho de 2011 a agosto de 2012), a taxa de juros média para pessoa física apresentou redução de 19,53 pontos percentuais, o que corresponde a uma redução de 16,11%, ao cair de 121,21% ao ano em julho de 2011, para 101,68% ao ano em agosto.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma redução de 10,97 pontos percentuais (redução de 17,97%) de 61,03% ao ano em julho de 2011 para 50,06% ao ano em agosto de 2012.

?A nossa expectativa é de que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses por conta da provável redução da taxa básica de juros (Selic) conforme sinalizações do Banco Central, pela maior competição no sistema financeiro após os bancos públicos promoverem reduções em suas taxas de juros, bem como com a expectativa de redução dos índices de inadimplência no segundo semestre?, disse, em nota, Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor da Anefac.

Fonte: G1