Juro para pessoa física cai ao menor nível desde 1995

Taxa do rotativo do cartãio de crédito não mudou, a 10,69% ao mês.

A taxa de juros média cobrada em operações de crédito para pessoa física recuou 0,05 ponto em outubro e atingiu o menor nível desde 1995, ano do início da série história da pesquisa de juros da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

De acordo com levantamento divulgado nesta quinta-feira (11), o juro médio para o consumidor passou de 6,74% ao mês em setembro para 6,69% em outubro, nível recorde para a pesquisa da entidade.

Anualizadas, as taxas correspondem a 118,74% ao ano em setembro e 117,51% ao ano em outubro.

Das seis linhas de crédito pesquisadas, a maior queda foi registrada no CDC, com redução de 3,38%, passando de 2,37% em setembro para (32,46% ao ano) para 2,29% (31,22% ao ano).

Nos juros do comércio, a redução foi 1,77%, passando de 5,65% em setembro para 5,55% em outubro, sendo a menor taxa do mês na série histórica.

Cartão e cheque especial

Ainda conforme a entidade, a linha de crédito do cartão de crédito rotativo, que permaneceu inalterada em 10,69% ao mês, foi a única que não ficou menor entre os juros médios oferecidos à pessoa física.

As taxas de empréstimo pessoal cobradas nas financeiras tiveram leve recuo, de 9,56% em setembro para 9,48% ao mês. O custo de empréstimos nos bancos segue mais barato: passou de 4,69% para 4,67% ao mês.

O juro do cheque especial médio em outubro foi de 7,44% ao mês em outubro (ante 7,47%); o que equivale ainda a exorbitantes 136,59% ao ano.

Fonte: g1, www.g1.com.br