Juros podem subir se a inflação aumentar

Juros podem subir se a inflação aumentar

Ministro da Fazenda admite mudanças na Selic, atualmente em 8,75% ao ano

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira (2) que os juros podem subir, caso a inflação aumente, e que o PIB (soma das riquezas do país) poderá superar a meta do governo, de 4,5%, e atingir até 5,5%. O ministro fez as declarações durante evento do Lide (grupo de líderes empresariais), em São Paulo.

- Se houver problema de inflação, os juros vão subir. Espero que não precise, né Meirelles? [presidente do BC, Henrique Meirelles, presente no evento].

Atualmente a taxa de juros, a Selic, está em 8,75% ao ano e segundo analistas do Banco Central, a previsão é que as mudanças ocorram a partir de abril. Mantega sugeriu um ?pacto? entre governo e empresários para manter o compromisso com a estabilidade fiscal e monetária e disse que a meta de inflação, de 4,5%, será cumprida em 2010.

Do lado fiscal, Mantega reafirmou o compromisso de cumprir a meta de superávit primário, que é a economia do governo para pagar os juros da dívida, de 3,3% do PIB.

- Queremos continuar reduzindo a relação dívida/PIB e se for preciso seguraremos despesas e gastos de consumo.

O ministro pediu prudência aos empresários neste ano, em função das eleições presidenciais, e disse para "não aceitarem as provocações nem caírem no canto da sereia" que devem surgir durante a campanha.

- O próximo governo deve focar nisso: o que posso fazer de melhor em relação ao que já foi feito. E não ficar ameaçando ou conturbando o que está dando certo. Não há riscos para o Brasil, todos devemos exigir a manutenção dos fundamentos. O que queremos é que o Brasil continue crescendo.

O Lide é uma associação de empresários, formado por líderes de corporações nacionais e internacionais, que promove a integração entre as empresas, organizações e entidades privadas, por meio de programas de debates, fóruns de negócios, atividades de conteúdo, iniciativas de apoio à sustentabilidade e responsabilidade social.

Fonte: R7, www.r7.com