Justiça bloqueia contas de ex-diretor do PanAmericano

Segundo apuração da PF, o PanAmericano teria firmado contratos com empresas de seus ex-diretores e também com empresas pertencentes ao Grupo Silvio

A Justiça Federal bloqueou as contas de quatro empresas do ex-diretor superintendente do Banco PanAmericano, Rafael Palladino. A medida foi tomada com base em relatório da Polícia Federal (PF) que aponta que o bloqueio das contas é imprescindível "como garantia de ressarcir às pessoas físicas e jurídicas lesadas" e que os recursos supostamente desviados do banco sejam destinados a reparação do dano causado ao sistema financeiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo apuração da PF, o PanAmericano teria firmado contratos com empresas de seus ex-diretores e também com empresas pertencentes ao Grupo Silvio Santos (GSS) como possível meio de propiciar o desvio de recursos que a instituição financeira geriam. Por meio da assessoria de imprensa, o empresário negou as acusações.

Entenda

O PanAmericano anunciou em novembro que o Grupo Silvio Santos, seu controlador, iria aportar R$ 2,5 bilhões na instituição para restabelecer o equilíbrio patrimonial e a liquidez, após "inconsistências contábeis" apontadas pelo Banco Central (BC). Um processo administrativo de investigação apura a origem e os responsáveis pelo problema de falta de fundos.

A injeção de recursos no banco foi feita por meio do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma entidade sem fins lucrativos que protege os correntistas, poupadores e investidores. São as instituições financeiras que contribuem com uma porcentagem dos depósitos para a manutenção do FGC - sem recursos públicos.

A holding do Grupo Silvio Santos colocou à disposição empresas como o SBT e a rede de lojas do Baú da Felicidade, entre outras, como garantia pelo empréstimo, que tem prazo de dez anos. Especializado em leasing e financiamento de carros, o PanAmericano teve 49% do capital votante vendido para a Caixa Econômica Federal em dezembro de 2009, por R$ 739,2 milhões. Com autorização do BC, as atividades das lojas e o atendimento ao público continuam sem problemas, segundo a instituição.

Na noite do dia 31 de janeiro, o BTG Pactual anunciou a compra do controle do PanAmericano por R$ 450 milhões. O BTG acertou a aquisição da totalidade da participação do Grupo Silvio Santos no PanAmericano, assumindo 51% das ações ordinárias do banco e quase 22% das preferenciais, representativas de 37,6% do capital total. Após a reunião que selou a compra de suas ações no PanAmericano pelo BTG Pactual, o apresentador e empresário Silvio Santos se mostrou aliviado. "Agora, estou livre. A televisão que alguém queria comprar não está mais à venda", afirmou o empresário. "Os meus negócios são mais uma forma de diversão e emoção".

Fonte: Terra, www.terra.com.br