Lucro do Banco do Brasil é o maior da história dos bancos

Lucro do Banco do Brasil é o maior da história dos bancos

Maior lucro anterior a esse também havia sido registrado pelo banco

O lucro liquido do Banco do Brasil, anunciado nesta quinta-feira (17), de R$ 11,703 bilhões em 2010 foi o maior da história dos bancos, segundo aponta levantamento da consultoria Economatica, com base nos balanços apresentados à Comissão de Valores Mobililiários (CVM), em valores nominais.

Antes, o maior lucro da história dos bancos brasileiros havia sido registrado em 2009, também pelo Banco de Brasil, que chegou a R$ 10,148 bilhões, seguido pelo Itaú Unibanco, com R$ 10,067 bilhões, também em 2009.

Posição Banco Lucro líquido (em bilhões de R$) Ano em que foi registrado

1 Banco do Brasil 11,703 2010

2 Banco do Brasil 10,148 2009

3 Itaú Unibanco 10,067 2009

4 Bradesco 10,022 2010

5 Banco do Brasil 8,803 2008

6 Itaú 8,474 2007

7 Bradesco 8,012 2009

8 Bradesco 8,010 2007

9 Itaú 7,803 2008

10 Bradesco 7,620 2008

Fonte: Economatic

O Banco do Brasil fechou o quarto trimestre de 2010 com uma queda de 3,7% no lucro líquido na comparação anual. A maior instituição financeira do país teve lucro líquido de R$ 4,002 bilhões nos três últimos meses do ano passado.

Em todo o ano passado, a instituição teve lucro líquido de R$ 11,703 bilhões, após R$ 10,15 bilhões em 2009, crescimento de 15,3%.

As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa somaram R$ 2,14 bilhões, uma queda de 27,4% sobre o quarto trimestre de 2009 e recuo de 19% ante o terceiro trimestre de 2010. No ano, essa linha de despesa caiu 8,2%.

Enquanto isso, o índice de inadimplência medido por operações de financiamento vencidas há mais de 90 dias foi de 2,3% no trimestre encerrado em dezembro, comparado a 3,3% no mesmo período de 2009 e 2,7% entre julho e setembro do ano passado.

A queda na inadimplência ocorreu junto com uma alta no nível de empréstimos do Banco do Brasil, cuja carteira de crédito cresceu 19% entre o final de 2009 e 2010, para R$ 358,4 bilhões.

Nos empréstimos concedidos pelo banco, destaca-se a alta de 32% no financiamento de veículos, para R$ 27,395 bilhões. No geral, o crédito à pessoa física avançou 23,2% sobre o final de 2009, enquanto à pessoa jurídica cresceu 19,5%. Em agronegócios, a carteira cresceu 12,9%, a R$ 75 bilhões.

Fonte: g1, www.g1.com.br