Lucro líquido da Oi cresceu 190,8% no 4º trimestre;e 2013 teve queda de 16%

O lucro atribuído por ação aos controladores avançou para R$ 0,7211, ante R$ 0,2480 do mesmo período do ano anterior

A Oi registrou lucro líquido de R$ 1,182 bilhão no quarto trimestre de 2013, em alta de 190,8% sobre os R$ 406,7 milhões obtidos no quarto trimestre de 2012, segundo demonstração de resultados consolidada (não auditada) divulgada na madrugada desta quarta-feira pelo site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O lucro atribuído por ação aos controladores avançou para R$ 0,7211, ante R$ 0,2480 do mesmo período do ano anterior. A margem de lucro líquido avançou para 16,4%, ante 5,5% do mesmo trimestre do ano anterior.

A receita operacional líquida da Oi no quarto trimestre de 2013 foi de R$ 7,208 bilhões, ante R$ 7, 389 bilhões no quarto trimestre de 2012, em queda de 2,4%.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 38,9% no 4º trimestre, para R$ 3,495 bilhões, ante R$ 2,515 bilhões do mesmo trimestre de 2012. A margem Ebitda avanço para 48,5% no 4º trimestre, ante 34,0% do mesmo trimestre de 2012.

O Ebit (lucro antes e juros e impostos) cresceu 59,8% no quarto trimestre, a R$ 2,412 bilhões, ante R$ 1,509 bilhão do mesmo trimestre do ano anterior.

Os custos e despesas operacionais diminuíram 23,8% no quarto trimestre, a R$ 3,713 bilhões, ante R$ 4,874 bilhões do mesmo período do ano passado.

As despesas financeiras líquidas cresceram 12,4% ante o quarto trimestre de 2012, para R$ 825 milhões no último trimestre do ano passado.

Ao considerar o ano todo de 2013, a Oi registrou lucro líquido de R$ 1,493 bilhão, em queda de 16,3% sobre o R$ 1,784 bilhão obtido em 2012.

A receita operacional líquida em 2013 foi de R$ 28,422 bilhões, ante R$ 25,169 bilhões em 2012, em alta de 12,9%.

O Ebitda da empresa atingiu R$ 9,582 bilhões em 2013, ante R$ 7,988 bilhões em 2012, em expansão de 19,9%.

O Ebit da Oi em 2013 ficou em R$ 5,304 bilhões, ante R$ 4,760 bilhões em 2012, em alta de 11,4%.

Fonte: UOL