Lula diz que Brasil se cansou de ser o país do futuro

Antes do presidente, os ministros Guido Mantega, da Fazenda, e Dilma Rousseff, da Casa Civil, apresentaram um quadro propício ao crescimento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou diante de uma platéia de potenciais investidores financeiros reunidos em uma conferência organizada pelos jornais Financial Times e Valor Econômico em Londres, que o Brasil vive um momento de altas expectativas. "O Brasil cansou de ser o país do futuro", afirmou Lula.

Antes do presidente, os ministros Guido Mantega, da Fazenda, e Dilma Rousseff, da Casa Civil, apresentaram um quadro propício ao crescimento econômico sustentável do País nos próximos anos.

O presidente disse que o País vive uma revolução silenciosa. "Tem uma revolução silenciosa no Brasil, que é a recuperação da autoestima coletiva de um país. Esse milagre da transformação, que ainda não foi medido corretamente por economistas e institutos, está ocorrendo no nosso país ".

Crise mundial

Lula disse que a crise mundial, quando os Estados tiveram que ajudar bancos privados para salvá-los da bancarrota, provou que governos são extremamente necessários e atuantes para o desenvolvimento social e econômico.

"Quando tentávamos implantar o programa Luz Para Todos, em 2004, não havia interesse da iniciativa privada em levar energia elétrica a lugares de pouca ou nenhuma atividade econômica. Mas um cidadão, mesmo que perdido no meio da selva amazônica, tem o mesmo direito dos outros porque é um brasileiro".

Lula também criticou os líderes dos países desenvolvidos por não terem impedido que a crise chegasse ao nível que chegou, principalmente após a quebra do banco americano Lehman Brothers, ocorrida no ano passado.

"Imaginem se o presidente (George W.) Bush tivesse as informações corretas para evitar que o Leihman Brothers quebrasse? A crise não precisaria ter chegado a essa profundidade ". Aproveitando para ressaltar a resposta do Brasil à crise, Lula afirmou que a estabilidade do País e as reservas acumuladas em decorrer da política econômica do governo ajudaram a responder à instabilidade internacional.

"O Brasil foi um dos últimos a entrar na crise e um dos primeiros a sair dela," afirmou. "O País já voltou a crescer e deve crescer muito mais nos próximos anos ". A visita a Londres realizada pelo governo, que contou com Mantega, Dilma, o presidente do Banco Central (BC) Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho considera o momento propício para a atração de investidores.

Lula prometeu mais viagens para promover o Brasil, a começar pela confirmação de outro seminário a ser realizado no dia 3 de dezembro, na Alemanha. Ao final da palestra na capital britânica, Lula deixou um recado aos potenciais investidores. "Cansamos de ser o país do futuro, por isso não queremos perder nenhuma oportunidade no século XXI. O Brasil vive um momento mágico pela expectativa que temos de nós".

Fonte: Terra, www.terra.com.br