Lula reclama da alta do preço do álcool

Ele pediu que ministros marquem reunião com empresários

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou irritação com a recente alta do preço do álcool ao discursar nesta secta-feira (22) na inauguração do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol, em São Paulo. “Não pode ser assim. O álcool quase acabou neste país porque não havia seriedade”, disse Lula em referência à postura dos empresários do setor.

O presidente afirmou que pediu aos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Agricultura, Reinholds Stephanes, que agendassem uma reunião com representantes do setor para a próxima semana. “Se passarmos para o mundo a idéia de que não estamos dando sequer conta do mercado interno, não vamos vender no mercado externo”, ressaltou. Lula cobrou dos empresários que não mudem seus planos de negócios de acordo com o melhor preço do álcool ou do açúcar.

“Todo o trabalho de publicidade que estamos fazendo vai ruir quando perguntarem se garantimos a oferta”. Dilma e Serra No mesmo evento, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, também discursaram.

A ministra elogiou as iniciativas do governo federal, tanto da Petrobras quanto da Empresa Brasileilra de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), na produção de tecnologias que favorecem a obtenção do álcool de segunda geração- aquele que é extraído a partir da quebra da celulose.

Por sua vez, Serra anunciou a criação do Centro Paulista de Bioenergia, com investimentos de 150 milhões, feitos com recursos obtidos com a venda da Nossa Caixa. “No caso de São Paulo, não queremos mais terras plantáveis para a cana-de-açúcar. Queremos aumentar a produção via tecnologia”, disse o governador.

Fonte: g1, www.g1.com.br