Mais de 5 mil piauienses estão na malha fina, revela Receita Federal

O contribuinte deverá se dirigir até a Receita Federal,

Os contribuintes que já entregaram a declaração do Imposto de Renda deste ano já podem checar se caíram na malha fina da Receita Federal. No Piauí, segundo dados da Receita, 5.476 pessoas estão na malha fina.

O auditor independente Jorge Ivan Teles explica que a pessoa entra na malha fina quando informa, ela própria ou a fonte pagadora, algo errado durante a declaração de Imposto de Renda. Após saber que está na malha fina, o contribuinte deverá se dirigir até a Receita Federal, munido de todos os documentos e informações (como saldos de conta corrente, poupança, fundos, Previdência, comprovantes de renda) e recibos usados no momento do preenchimento da declaração.

?Não é difícil fazer essa correção. O contribuinte marcará um horário de atendimento. Esse atendimento será personalizado e a pessoa irá dizer a ele o que ele precisará consertar. Se for preciso pagar algo, esse valor será calculado na hora. Um indício de que a pessoa caiu na malha fina é a demora da restituição do Imposto de Renda?, disse o

auditor. No Estado serão 3.374 pessoas receberão restituição do último lote. No total a Receita pagará o valor de R$ 3.322.282. Outra opção é procurar o extrato no site da Receita Federal para saber os motivos de estar na malha fina. Identificado algum erro, uma declaração retificadora deve ser enviada para que se tenha chances de entrar no próximo lote residual do início do ano. Os serviços para retificação estão disponibilizados no Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte (e-CAC).

Para utilizar o e-CAC é preciso usar o código de acesso gerado na própria página da Receita ou o certificado digital emitido por autoridade habilitada. Antes de gerar o código do e-CAC, o contribuinte necessita informar o número do recibo de entrega das declarações de Imposto de Renda dos dois últimos exercícios. Com o código em mãos, é possível fazer a autorregularização em caso de erro encontrado. Desde o ano passado, o contribuinte já podia verificar se havia caído na malha fina ainda durante o período de entrega da declaração.

Fonte: Ricardo Moura Fé