Mercado aumenta estimativa para o PIB pela primeira vez desde fevereiro

A previsão do PIB para o próximo ano foi reduzida, de 2,40% para 2,30%.

O mercado aumentou a estimativa de crescimento da economia do país neste ano pela 1º vez desde fevereiro. Segundo o Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (2), o PIB (Produto Interno Bruto) deve fechar o ano com alta de 2,32%, ante estimativa de 2,2% na semana passada.

Na sexta (30), a divulgação do crescimento da economia do país no segundo semestre veio acima das expectativas dos investidores, com alta de 1,5% no segundo trimestre, a maior alta desde o começo de 2010.

Porém, a previsão do PIB para o próximo ano foi reduzida, de 2,40% para 2,30%.

Juros

Segundo o Boletim Focus, os juros devem subir para 9,5% até o final do ano. O BC elevou na semana passada a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, para 9% ao ano, repetindo o comunicado utilizado nas duas últimas reuniões, o que foi interpretado pelo mercado como um sinal de que elevará novamente a taxa em 0,5 ponto percentual na próxima reunião, em outubro.

Entretanto, a mediana das estimativas do Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, mudou para este ano, indicando um maior aperto monetário. A projeção agora é de que a Selic encerrará 2013 a 10%, ante 9,75% na pesquisa anterior. Mas em relação a 2014, a projeção foi mantida em 10%.

O que deve influenciar a duração do atual ciclo de aperto monetário, para analistas, é o comportamento do câmbio e da economia daqui para a frente.

O mercado aguarda agora a divulgação da ata dessa reunião, na quinta-feira, em busca de mais sinais sobre os próximos passos da política monetária.

Inflação

O momento é de preocupação com a valorização do dólar, dado o potencial impacto sobre os preços.

Diante desse cenário, os economistas ainda elevaram a perspectiva para a inflação neste ano a 5,83%, ante 5,8% na semana anterior. Para 2014, a projeção para o IPCA foi mantida em 5,84%.

Dólar

O dólar deve fechar o ano cotado a R$ 2,36, segundo estimativas de economistas consultados pelo BC. Na sexta-feira (30), a moeda norte-americana fechou cotada a R$ 2,385 na venda.

Fonte: UOL