Mercado de TV por assinatura cresce 30,7% em 2010

Participação de mercado do serviço via satélite chegou a 45,8% em dezembro

O mercado de TV por assinatura no Brasil fechou o ano de 2010 com crescimento de 30,7% na comparação com 2009. Foram registrados 2.295.517 novos assinantes no ano, sendo que, somente em dezembro, houve 237.936 novas assinaturas, uma evolução de 2,5% em relação à base de assinantes de novembro, de acordo com balanço divulgado nesta quarta-feira (26) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Por tecnologia prestada, os serviços via satélite cresceram 4,6% em dezembro ante uma evolução de 2,0% no contraste de outubro com novembro. Em segundo lugar, o serviço via cabo expandiu 0,9% em dezembro, ante expansão de 1,1% em novembro contra outubro. As prestadoras de MMDS, por sua vez, perderam 1,7% de sua base de assinantes no mesmo período.

Em função do crescimento do serviço via satélite, a participação de mercado dessa tecnologia ao final de dezembro de 2010 atingiu 45,8% da base. Em janeiro de 2010, os serviços DTH representavam 37,4% do mercado nacional.

Os serviços a cabo permanecem como líderes ao atender 51% dos assinantes no final de dezembro de 2010. Em janeiro de 2010, o serviço via cabo tinha 57,9% de market share, conforme divulgado naquele mês, informou a Anatel.

Seguindo a tendência observada desde o início do ano, as regiões Norte e Nordeste cresceram acima da média nacional nos últimos 12 meses. O menor crescimento, em igual período, foi observado na região Sul, acompanhada pela região Sudeste, com percentuais de crescimento anual abaixo da média nacional. Em dezembro de 2010, a região Centro-Oeste também apresentou crescimento anual acima da média, ultrapassando seu desempenho no mês anterior.

Os serviços de TV por assinatura são prestados por meio de diferentes tecnologias, como cabo - TVC, por microondas (Distribuição de Sinais Multiponto Multicanais - MMDS) e por satélite (Distribuição de Sinais de Televisão e de Áudio por Assinatura via Satélite - DTH). Esse levantamento levou em conta o número médio de pessoas por domicílio divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ) de 3,3 pessoas.

Fonte: g1, www.g1.com.br