Mercado eleva previsões de inflação para 2011 e 2012

Juro oficial e PIB, no entanto, ficaram inalterados, segundo boletim divulgado pelo BC

Analistas do mercado financeiro elevaram suas previsões para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) ? usado pelo Banco Central para controlar a meta de inflação ? para este ano e para 2012, segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (24). O documento é elaborado pelo BC através de consultas a especialistas e consultores do mercado financeiro.

O indicador deve ficar em 5,53% (contra 5,42% na estimativa anterior) e em 4,54% em 2012 (contra 4,50% uma semana antes). No ano passado o IPCA ficou em 5,91%, maior resultado desde 2004 (quando ficou em 7,60%). A alta no grupo alimentação foi de 10,39%, mais que o triplo do registrado em 2009, quando a alta foi de 3,18%.

O IPCA mede o custo de vista das famílias com renda de um a 40 salários mínimos, e é acompanhado entre o primeiro e o último dia de cada mês.

Para o IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado no reajuste de contratos de aluguel, a previsão agora é de alta de 5,77% (contra 5,60% de uma semana atrás). O IGP-DI (Índice Geral de Preços ? Disponibilidade Interna), usado no reajuste de tarifas públicas e aluguéis, deve ficar em 5,85% (pouco acima do 5,52% da estimativa anterior).

A exceção foi o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe, que mede a variação de preços no município de São Paulo: o indicador deve ficar em 4,90%, inalterado em relação ao boletim anterior.

No caso da Selic ? a taxa básica de juros da economia brasileira, referência para a formação de todas as outras praticadas no país ?, a previsão é de que chegue ao fim de 2012 em 11%, mesma previsão anterior. Para este ano, a expectativa é de que a taxa fique em 12,25% (mesma estimativa anterior).

Fonte: R7, www.r7.com