Mercado financeiro espera inflação mais alta neste ano

Expectativa para juros básicos e para crescimento da economia ficaram estáveis

As estimativas do mercado financeiro para o custo de vida dos brasileiros aumentaram mais uma vez, tanto para 2011 como para 2012, segundo o boletim Focus - documento semanal preparado pelo Banco Central a partir de consultas a especialistas do setor privado -, divulgado nesta segunda-feira (21).

A previsão para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), usado pelo BC para controlar a meta de inflação, ficou em 5,79% na divulgação de hoje ? contra 5,75% vistos há uma semana. O indicador vai, assim, se distanciando da meta de 4,5% estabelecida pelo governo para este ano.

A fim de controlar a inflação, o BC já adotou medidas para restringir a oferta de crédito e começou a elevar a taxa Selic (os juros básicos da economia brasileira, a partir dos quais todos os demais são estabelecidos). Para 2012, a previsão do mercado é de um IPCA em 4,78% (contra 4,70% na previsão anterior).

Para o IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado no reajuste de contratos de aluguel, a previsão é de 6,51% (a previsão anterior era de 6,33%); em 2012, o índice deverá ficar em 4,70% (inalterada em relação à previsão anterior).

Para o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que apura os preços no município de São Paulo, a estimativa agora é de 5,53% - muito acima dos 5,47% previstos uma semana antes. No próximo ano, o indicador deverá ficar em 4,67% (pouco acima dos 4,64% na previsão anterior).

Para o PIB a (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país), a previsão é de crescimento de 4,5% neste ano, a mesma da semana passada - e a mesma para 2012. Para 2010, as estimativas são de um crescimento de 7,6%.

A expectativa para a Selic em 2011 ficou em 12,5%, inalterada em relação à estimativa de uma semana antes; em 2012, a taxa deverá ser de 11,25%.

Fonte: R7, www.r7.com