Mercado financeiro do país prevê novo aumento no juro durante esta semana

Expectativa dos analistas é de uma alta de 0,25 ponto, para 10,75% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta semana e deve subir, pela oitava vez seguida, os juros básicos da economia brasileira, segundo expectativa da maior parte dos analistas do mercado financeiro. A decisão da autoridade monetária será divulgada na quarta-feira (26) após as 18h.

A previsão dos economistas dos bancos foi captada por meio de pesquisa realizada pelo próprio BC com mais de 100 instituições financeiras na semana passada, que dá origem ao relatório de mercado, também conhecido como Focus. O documento foi divulgado nesta segunda-feira (24).

Mesmo prevendo aumento dos juros básicos da economia, a estimativa do mercado financeiro é que o Banco Central reduza o ritmo de alta da taxa Selic. Nos seis últimos encontros, a taxa de juros subiu 0,5 ponto percentual. A expectativa é que nesta quarta-feira seja anunciada uma alta menor, de 0,25 ponto percentual, de 10,5% para 10,75% ao ano.

A perspectiva do mercado financeiro é que esta não seja a última elevação este ano da taxa básica da economia brasileira ? que vem avançando desde abril do ano passado para conter pressões inflacionárias. Para o fechamento de 2014, a previsão dos analistas para a taxa de juros permaneceu em 11,25% ao ano e, para o final de 2015, ficou estável em 12% ao ano.

Inflação

Pelo sistema que vigora no Brasil, o BC tem que calibrar os juros para atingir metas preestabelecidas, tendo por base o IPCA. Para 2013 e 2014, a inflação tem de ficar em 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Desse modo, o IPCA pode ficar entre 2,5% e 6,5%, sem que a meta seja formalmente descumprida.

Para a inflação de 2014, a estimativa dos analistas passou de 5,93% para 6% na semana passada. Essa foi a segunda elevação consecutiva deste indicador. Com isso, o mercado continua acreditando que a inflação terá aceleração neste ano, frente ao patamar registrado em 2013 (5,91%). Para 2015, a expectativa dos analistas para a inflação ficou estável, em 5,7%.

Crescimento do PIB

Para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, a previsão dos economistas recuou de 1,79% para 1,67% na semana passada. Foi a terceira queda consecutiva do indicador.

O crescimento previsto para 2014 segue abaixo estimado no orçamento para o próximo ano ? de 2,5% (valor revisado na semana passada). Para 2015, a perspectiva de expansão da economia brasileira recuou de 2,10% para 2%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz.

Câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2014 subiu de R$ 2,48 para R$ 2,50 por dólar. Para o fechamento de 2015, a estimativa dos analistas dos bancos para o dólar ficou estável em R$ 2,55.

A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2014 permaneceu inalterada US$ 7,9 bilhões na semana passada. Para 2015, a previsão de superávit comercial recuou de US$ 11,5 bilhões para US$ 10,5 bilhões.

Para 2013, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil subiu de US$ 58 bilhões para US$ 58,8 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte de investimentos estrangeiros permaneceu em US$ 57,3 bilhões na última semana.

Fonte: G1