Mercado prevê mais inflação para 2010

Estimativa para o IPCA deste ano subiu pela 17ª vez, para 5,54%.

Os economistas do mercado financeiro elevaram pela 17ª vez consecutiva a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) deste ano, informou nesta segunda-feira (17) o Banco Central, que colheu os dados na semana passada por meio de pesquisa que deu origem ao relatório de mercado, também conhecido como Focus.

Na última semana, a previsão do mercado para o IPCA de 2010 passou de 5,50% para 5,54%. Para 2011, a estimativa permaneceu estável em 4,80%. No Brasil, vigora o sistema de metas de inflação, pelo qual o BC tem de calibrar os juros para atingir as metas pré-estabelecidas.

Para 2010 e 2011, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Juros

Com a expectativa de inflação em alta, os analistas também apostam que os juros continuarão subindo para tentar impedir a escalada dos preços. Em junho, de acordo com a previsão do mercado financeiro, a taxa deverá ser elevada para 10,25% ao ano, ou seja, um novo aumento de 0,75 ponto percentual. Segundo o mercado, os juros terminarão este ano em 11,75% ao ano e 2011 em 11,50% ao ano.

Crescimento econômico

Os analistas do mercado financeiro também elevaram a sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 6,26% para 6,30%, informou o Banco Central. Se confirmado, será a maior expansão do PIB desde 1986, quando o país cresceu 7,49%, segundo série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponibilizada pelo BC. Para 2011, a previsão de crescimento econômico do mercado financeiro permaneceu estável em 4,5%.

Taxa de câmbio

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2010 permaneceu em R$ 1,80 por dólar. Para o fechamento de 2011, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio ficou estável em R$ 1,85 por dólar.

Balança comercial

Já a projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2010 subiu de US$ 13 bilhões para US$ 13,75 bilhões na semana passada.

Para 2011, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial avançou de US$ 5 bilhões para US$ 5,3 bilhões de superávit.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2010 ficou em US$ 38 bilhões na última semana. Para 2011, a projeção de entrada de investimentos no Brasil permaneceu em US$ 40 bilhões.

Fonte: g1, www.g1.com.br