Mercado reduz pela nona vez a previsão de crescimento; saiba

De acordo com o Relatório Focus, analistas esperam que a expansão da economia brasileira neste ano seja de 2,01%, contra 2,05% há uma semana

O mercado financeiro reduziu pela nona semana consecutiva a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012. De acordo com a pesquisa Focus, divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central, a mediana das previsões para a expansão da economia brasileira neste ano caiu de 2,05% para 2,01%. Há um mês, economistas esperavam ritmo mais forte, de 2,53%.

Para 2013, foi mantida a previsão de que a economia brasileira deve ter recuperação com crescimento esperado de 4,20%. O cenário, porém, é pior que o visto há quatro semanas, quando analistas esperavam alta de 4,30% do PIB no ano que vem.

Entre os setores mais prejudicados pela desaceleração da economia, a indústria é o ramo de atividade que mais sofre. Para o mercado financeiro, a produção do setor deve crescer apenas 0,10% em 2012, ante previsão de 0,39% na semana passada. Um mês atrás, a estimativa estava em 1%.

Para 2013, o mercado prevê recuperação do setor. Mesmo assim, a previsão de crescimento da produção industrial caiu de 4,30% para 4,25%, ante 4,20% observado um mês antes.

Juro

O mercado mantém a previsão de que o juro básico da economia seguirá em queda nas duas próximas decisões do Comitê de Política Monetária (Copom) até atingir o patamar inédito de 7,50% ao ano. Pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central mostra, porém, que analistas reduziram a estimativa de aumento do juro em 2013: as projeções para a Selic no fim do próximo ano caíram de 9% para 8,5%. Assim, o mercado indica que prevê aumento de 1 ponto no decorrer de 2013 e não mais 1,5 ponto como visto até a semana passada.

Na véspera de nova reunião do Copom, o mercado manteve a previsão de que o juro básico cairá 0,50 ponto porcentual, para 8% na quarta-feira. Depois, preveem os analistas, nova redução deve ser anunciada em agosto, quando o juro recuaria para 7,50%, nível em que ficaria até o fim do ano.

A pesquisa Focus mostra ainda manutenção das expectativas para o juro médio neste ano em 8,53%. Para 2013, foi reduzida a previsão de Selic média de 8,13% para 7,97%, 15ª semana seguida de queda da estimativa e a primeira vez abaixo de 8%. Quatro pesquisas antes, analistas esperavam juro médio de 8,72% em 2012 e de 8,50% no ano que vem.

Analistas reduziram ainda a previsão para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2012, de 35,65% para 35,55%. Para 2013, a projeção recuou de 34,50% para 34%. Há quatro semanas, as projeções estavam em, respectivamente, 35,85% e 34,25% do PIB para cada um dos dois anos.

Inflação menor

O mercado financeiro reduziu mais uma vez a estimativa para o IPCA em 2012. De acordo com a pesquisa Focus, a mediana das estimativas para a inflação oficial neste ano recuou pela oitava semana seguida e passou de 4,93% para 4,85%. Há quatro semanas, estava em 5,03%. Para 2013, a projeção não sofreu alteração e manteve-se em 5,50%. Há um mês, estava em 5,60%.

A projeção para a inflação para os próximos 12 meses não acompanhou o movimento esperado para 2012 e 2013 e subiu ao passar de 5,50% para 5,53%, conforme a projeção suavizada para o IPCA. Há quatro semanas, estava em 5,50%.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus, a previsão para o IPCA em 2012 no cenário de médio prazo caiu de 5% para 4,86%. Para o ano seguinte, a estimativa manteve-se em 5,50% pela quarta semana seguida. Há um mês, o grupo apostava em alta de 5,02% e 5,50% para cada ano, respectivamente.

Câmbio

Mesmo com os fortes sinais dados na semana passada de que o governo quer o dólar na casa dos R$ 2, analistas consultados pela pesquisa Focus mantém previsões da moeda abaixo desse patamar. De acordo com o levantamento divulgado nesta segunda-feira, a mediana das projeções para o preço da moeda estrangeira no fim deste ano seguiu em R$ 1,95 pela terceira semana. Para o fim de 2013, subiu de R$ 1,90 para R$ 1,94. Há um mês, analistas previam dólar a R$ 1,90 no fim de 2012 e a R$ 1,88 no fim de 2013.

Fonte: Estadão