Mercado reduz previsão de alta do PIB pela 8ª semana seguida

A autoridade monetária deve a queda na expectativa de alta à crise financeira mundial.

Após o anúncio do Banco Central (BC), na última quinta-feira, de redução da expectativa de crescimento da economia brasileira para este ano, o mercado financeiro também reduziu, nesta segunda, a previsão de alta do Produto Interno Bruto do País (PIB, a soma de tudo o que é produzido no Brasil). As instituições financeiras apostam num crescimento de 2,05% em 2012, ante previsão da semana passada de 2,18%. Esta é a 8ª queda seguida nas estimativas de mercado.

Na última quinta-feira, o BC reduziu em um ponto percentual a estimativa de crescimento do PIB para 2012, que agora é de 2,5%. A autoridade monetária deve a queda na expectativa de alta à crise financeira mundial, cuja solução está demorando mais do que o previsto, e ao baixo crescimento brasileiro na primeira metade do ano.

Mesmo com previsão de crescimento menor, o mercado reduziu a previsão de inflação para este ano pela 7ª vez seguida. A expectativa passou de 4,95% para 4,93%. Ainda assim, as estimativas estão acima do centro da meta perseguida pelo governo, que é de 4,5%, e mais altas que a previsão oficial do BC para este ano, que subiu de 4,4% para 4,7%.

As previsões de mercado para os demais indicadores não sofreram alterações. A expectativa para a taxa básica de juros da economia, a Selic, permanece em 7,5% ao ano (se confirmada, será a mais baixa da história do País).

Fonte: Terra