Novo carro popular da Volkswagen vai ter conceito e design bem definidos

Preço de venda do futuro modelo para mercados emergentes será entre 6 mil euros e 8 mil euros

A Volkswagen definiu o conceito básico e design de um carro de baixo custo destinado aos mercados emergentes, afirmou um gerente da empresa alemã à Reuters, aproximando o projeto da conclusão após uma longa luta para cumprir metas de custo para o veículo.

A maior montadora da Europa vem tentando há mais de um ano atingir as metas de custo internas para o modelo, cujo preço de venda varia entre 6 mil euros e 8 mil euros (R$ 18,5 mil a R$ 24 mil), a ser construído na China, o maior mercado de carros de baixo custo. "O conceito e design estão agora no lugar", disse Hans Demant, responsável pelo projeto, à Reuters na véspera do Salão do Automóvel de Pequim. "Vamos produzir todos os componentes na China."

Os comentários de Demant estão mais otimistas do que as do chefe de desenvolvimento da marca Heinz-Jakob Neusser que disse no Auto Show de Genebra no mês passado que estava se tornando mais difícil de alcançar metas de custo para o projeto, acrescentando que não fazia sentido aprovar um veículo cujas metas internas não era, cumpridas.

China

A Volkswagen vai continuar expandindo as operações chinesas e começar a vender carros movidos a bateria no maior mercado de automóveis, num momento em que o país estimula compradores de veículos elétricos para combater a poluição atmosférica. A VW disse no sábado que vai adicionar capacidade em seu principal mercado, o destino de mais de um terço dos seus 2,4 milhões de entregas do grupo no primeiro trimestre.

Entregas do grupo VW pode aumentar para mais de 3,5 milhões de carros este ano, ante 3,27 milhões em 2013, afirmou o presidente-executivo da empresa, Martin Winterkorn. O grupo alemão, uma das primeiras montadoras globais a instalar linhas de produção na China durante a década de 1980, vai utilizar suas credenciais ambientais para se enquadrar no cenário de mudança econômica no país, que está deixando de lado o foco em indústria pesada.

O governo anunciou em fevereiro a disponibilidade de 10 bilhões de iuans (US$ 1,61 bilhão) para ajudar a mudar a maneira como produz e consome energia. O objetivo é promover a tecnologia verde e de baixo carbono para reduzir o consumo de combustíveis fósseis e controlar o consumo de carvão.

Fonte: Terra