Número de empregos temporários em 2010 cresce 10%

Total de vagas criadas para Páscoa, Dias das Mães, férias de julho e Natal passa de 244 mil

A economia aquecida fez com que o mercado de trabalho crescesse também no setor de empregos temporários no ano passado. Total de vagas criadas para Páscoa, Dias das Mães, férias de julho e Natal passaram de 244,3 mil, ou 10,7% a mais do que as 220,5 mil criadas em 2009, segundo levantamento da Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e Trabalho Temporário).

O período que mais contratou foi o Natal, com mais de 140 mil vagas. O número representa um crescimento de 12% em relação aos 125 mil empregos gerados no Natal de 2009.

Por número de vagas, aparecem com o maior número de postos a Páscoa (63,3 mil), o Dia das Mães (26 mil) e as férias escolares (15 mil). A associação diz que esses números vêm crescendo anualmente desde o início da pesquisa, em 2008.

O levantamento, divulgado nesta sexta-feira (21), considera somente empregos temporários formais.

Vander Morales, presidente da Asserttem, diz que os resultados positivos refletem a importância da atuação do setor de empregos terceirizáveis e temporários para a economia do país. Para ele, a grande oportunidade de um emprego temporário é abrir as portas do mercado de trabalho para os jovens.

- Contribuímos significativamente para a inserção de jovens no mercado de trabalho e para a formalização da mão de obra no país.

No total, o ano de 2010 criou 2,52 milhões de postos efetivos e registrados no Brasil. O número é o maior já visto em toda a série histórica do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), iniciada em 1992.

O setor de serviços foi a grande mola da geração de empregos formais em 2010, sendo responsável pela criação de 1,008 milhão de postos. O comércio vem em segundo no ranking de geração de empregos, tendo aberto 601.846 novos postos.

No caso dos temporários, os serviços responderam pela maior parte das vagas. O comércio apareceu em seguida, segundo a Asserttem.

Fonte: R7, www.r7.com