OGX, de Eike Batista, tem terceiro maior risco de calote do mundo

OGX, de Eike Batista, tem terceiro maior risco de calote do mundo

Levantamento é da empresa de gestão de risco Kamakura.

O número de empresas no mundo com perigo de não honrar o pagamento de dívidas subiu no mês passado, informou nesta terça-feira (2) a empresa norte-americana de gestão de risco Kamakura, que colocou a petroleira brasileira OGX em terceiro na lista de maiores ameaças de calote aos credores.

A Telecom Italia tem o maior risco de "default" em um mês entre as empresas da lista, com 13,38% de probabilidade. Entre as dez companhias com maior risco em junho, seis são da Europa, duas da América do Sul, uma do Canadá e uma da China.

O índice Kamakura de companhias problemáticas subiu 0,63% em junho, para 8,51%, indicando uma deterioração na qualidade de crédito de 32 mil companhias de 37 países avaliadas pelo índice ? todas com probabilidade de "default" acima de 1%.

"A Europa continuou a ser a área primária de preocupações sobre crédito novamente em junho, com os problemas em curso dos setores bancário e de telecomunicações", disse o administrador-executivo da Kamakura, Martin Zorn.

Os bônus de ? 1 bilhão da Telecom Italia com vencimento em janeiro de 2020 são negociados agora com prêmio de cerca de 330 pontos-básicos sobre os títulos de dívida do governo da Alemanha, o que se compara a 291 pontos-básicos dois meses atrás.

Em seguida aparece uma empresa russa e depois a OGX, do empresário Eike Batista, com risco de calote de 9,81%, segundo a Kamakura. Na segunda-feira, a OGX disse que suspendeu o desenvolvimento de alguns campos de petróleo e gás na bacia de Campos e que não investirá no aumento da produção dos poços de Tubarão Azul, motivando queda de quase 30% de suas ações.

A Kamakura colocou uma companhia com rating atribuído por agências de classificação de crédito na faixa "A" em sua lista de 10 empresas com maior chance de default, o chinês Bank of Communications.

Três empresas ? UniTek Global Services, Exide Technologies e Orchard Supply Hardware ? entraram em default em junho, elevando o total neste ano para 28 empresas nessa situação.

Em comparação, 23 companhias entraram em default no primeiro semestre de 2012, e um total de 47 empresas em todo o ano passado.

Fonte: G1