Organização para a Declaração do Imposto de Renda

Organização para a Declaração do Imposto de Renda

O dito popular não fica muito longe da realidade: o brasileiro gosta de deixar tudo para a última hora.

Para 74% dos brasileiros, 2012 será melhor do que 2011, e 60% acreditam que será um ano de prosperidade econômica. Esse mesmo otimismo se reflete na vida pessoal: 76% garantem estar muito satisfeitos com suas vidas. Esses são os principais resultados da pesquisa Barômetro Global de Otimismo, feita pelo IBOPE Inteligência.

tanto otimismo quanto às questões financeiras e econômicas não podem ser afetadas por uma falta de planejamento financeiro que, para os contribuintes, começa com a Declaração Anual de Imposto de Renda de Pessoas Físicas, o IRPF 2012, ano base 2011.

É fato que a grande maioria das pessoas quer começar o ano com muito dinheiro no bolso. Contudo, para que o ano de 2012 seja um ano mais saudável financeiramente, é preciso fazer as coisas de forma diferente se houve excessos no ano que se passou.

Para muitos, as mudanças no comportamento e na forma com que lidam com o dinheiro será fundamental para alcançar metas e o equilíbrio financeiro.

Grande parte da população, que está obrigada a entregar a declaração do imposto de renda, deixa para separar os documentos, recibos e informações importantes para elaboração do documento na última hora. Contudo, os especialistas orientam que é fundamental que o contribuinte se organize com antecedência.

“Quanto mais cedo ele preparar essas informações, mais tranquilidade terá para análise dos dados a serem transmitidos à Receita Federal, que estarão sujeitos ao cruzamento de dados para o devido processamento da declaração”, defende Marco Gomes, que é expert em declarações de Imposto de Renda.

O profissional reforça ainda que ao longo do ano o contribuinte deve ter o cuidado de guardar todas as notas fiscais de serviços de saúde, dentista, gastos com educação entre outros que estão na lista dos serviços dedutíveis para que tenha uma restituição mais justa possível.

“Muitas pessoas preferem deixar para pensar nesses detalhes apenas no mês que inicia o prazo para declarar o IR, mas a importância da separação com antecedência destes documentos ajuda a minimizar erros”, finaliza o especialista.

Contribuinte que caiu na malha fina pode ter acesso ao processo

Por conta das declarações de 2011, a Receita Federal reteve 569,6 mil declarações na malha fina, contra cerca de 700 mil do ano anterior. Sendo que 56% dos contribuintes que caíram na malha foi por omissão de algum tipo de rendimento, seja do titular, do dependente ou valor recebido de aluguéis. Para a consultora tributária Evelyn Moura, se o contribuinte está nesse grupo, não há motivo para pânico.

“O contribuinte deve acompanhar o processamento de sua declaração. A Receita Federal permite o contribuinte acesso ao detalhamento do processamento de sua declaração através do código de acesso gerado no próprio site da Receita Federal ou certificado digital. Caso tenha sido detectada alguma divergência, o Fisco já aponta ao contribuinte o item que está sendo ponto de divergência e orienta como fazer a correção”, explica Evelyn Moura.

“Se não houver erros por parte do contribuinte que necessite enviar uma declaração retificadora, existe a opção de antecipar o seu atendimento junto ao órgão, sem ter a necessidade de aguardar a notificação. O atendimento é feito com dia e hora marcados à escolha do contribuinte”, complementa a contabilista.

Fonte: Marcilany Rodrigues