Para especialistas, PIB per capita deverá ficar estagnado neste ano

Para especialistas, PIB per capita deverá ficar estagnado neste ano

Depois de avançar, em média, 2,2% ao ano no primeiro mandato de Lula e 3,6% no segundo, o PIB per capita vai registrar um crescimento anual de 0,8%

O PIB per capita, que é a soma de bens e serviços produzidos no país dividido pela população, deve ficar estagnado no Brasil este ano, projetam bancos e consultorias ouvidos pela Folha.

Depois de avançar, em média, 2,2% ao ano no primeiro mandato de Lula e 3,6% no segundo, o PIB per capita vai registrar um crescimento anual de apenas 0,8% no governo Dilma, conforme dados do IBGE compilados pela consultoria MB Associados.

Esse indicador é criticado por desconsiderar a desigualdade social, mas funciona como uma referência da produtividade da economia e ajuda a explicar o pessimismo que tomou conta do país, particularmente dos empresários.

A atividade mais fraca é o principal motivo para a desaceleração do PIB per capita, já que a população vem crescendo cerca de 1% ao ano.

Dilma deve fechar seu mandato com o pior ritmo de crescimento da economia desde Fernando Collor.

A maior parte da conta da desaceleração do PIB per capita está sendo paga pelas empresas, cujos lucros estão em queda. A renda do trabalhador também cresce mais devagar, mas acima do ritmo do PIB per capita graças aos reajustes do salário mínimo.

Fonte: Folha