Como planejar para um 2012 longe das dívidas? Confira

Como planejar para um 2012 longe das dívidas? Confira

O mês de janeiro sempre vem cheio de contas.

Iniciou 2012 e já está cheio de contas para pagar? Então este é o melhor momento para organizar as suas contas e fazer um ano diferente. Nada de deixar para depois do carnaval. A hora de se planejar é agora. Segundo especialistas, quem começa o ano com dívidas não pode adiar nem um mês.

O mês de janeiro sempre vem cheio de contas. Tem Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), emplacamento, Imposto Predial e Territorial Urbano(IPTU), material escolar das crianças que somado aos gastos com presentes no mês de dezembro e as contas gerais de todo mês se tornam uma bomba relógio para quem não tem domínio sobre os gastos.

De acordo com o economista Fernando Galvão, o ideal é planejar as contas desde o ano anterior. Mas se já está no vermelho, o primeiro passo para sair é fazer um planejamento familiar. No máximo 60% da renda familiar deve ser destinada para contas fixas. Mais que isso, onerar o saldo financeiro e é um risco em caso de imprevistos.

?É importante que toda a família esteja participando desse controle de gastos. Envolver-se no sentido de mostrar o tanto que a família está devendo, as contas que tem que pagar, ou seja, conhecer a situação financeira da família?, explica.

Tomando conhecimento dos débitos, é importante também anotar todos os gastos para fazer um balanço da renda. Gastar mais do que recebe é sinônimo de dívida e dor de cabeça e quem está nessa situação precisa tomar medidas emergenciais para reorganizar a situação financeira.

Uma opção bastante usual para se dar início ao acerto de contas é procurar os bancos para negociar a dívida. Tentar trocar taxas de juros mais caras por outras mais baixas é uma medida necessária. Juros de empréstimo normalmente são mais baixos que os cartões de crédito e cheque especial.

Portanto, muitas vezes, o empréstimo pode ajudar a quitar os débitos mais altos. Mas é preciso ficar atento, já que no cheque especial e cartão os juros incidem sobre os juros do mês anterior, ou seja, incide não só sobre o valor principal, mas sobre o juros, que cresce de forma exponencial.

Fazer empréstimo para pagar IPVA, IPTU e material escolar também é possível, mas o economista faz uma ressalva: ?Muitas vezes, além dos gastos com cartão, tem esses outros que vêm no mês de janeiro e pode acabar tornando a dívida maior. Se você não tiver dinheiro nem cartão, compensa. Agora, a prioridade para pegar empréstimo é pagar cartão de crédito?, pontua.

A ordem é poupar dinheiro

Chegou 2012, as contas estão em dia e ainda sobrou uma quantia, uma ótima opção a se fazer é poupar para eventualidades. Existem algumas formas possíveis, além de guardar em uma gaveta do armário.

Abrir uma poupança ou fazer um fundo de renda fixa são alternativas que compensam e, além disso, evitam utilizar o dinheiro para qualquer situação. Mas existe uma diferença sutil entre elas e cabe ao consumidor escolher a que mais lhe convier.

?A poupança é mais conservadora, mais segura. Mas no fundo de renda fixa eu posso estar aplicando dinheiro, ele estará seguro e rende um pouco mais. Essa é uma alternativa para quem não vai gastar a curto prazo?, explica o economista.

Mas se o desejo para 2012 é comprar um carro ou uma casa, é sempre uma ótima alternativa pesquisar preços. No caso da casa própria, é possível utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para dar entrada no imóvel.

Já no caso do veículo, é importante escolher com base nas condições financeiras e visando sempre a facilidade de venda. Isto porque há uma grande diferença entre consórcio e financiamento. E o primeiro é financeiramente mais viável que o segundo.

Fonte: Virgínia Santos