Devido piracema, peixes começam a faltar e preços sobem em Teresina

O período de reprodução dos peixes já começa a afetar os preços dos produtos no comércio

No período da piracema, que vai de outubro a março, é comum haver uma alta no preço dos peixes. Isso porque neste período a pesca é proibida para que os peixes possam se reproduzir. Com a proibição da pesca, os preços sobem e o consumidor já começa a sentir no bolso.

A maioria dos peixes teve um preço aumentado num valor entre R$ 1 e R$ 3. Além disso, os vendedores relatam a ausência de algumas espécies como pescada-amarela e piratinga, que estão vindo em menor quantidade.

De acordo com a proprietária de uma banca do Mercado do Peixe de Teresina, Nadia Teixeira, neste período de piracema existe de fato uma dificuldade para conseguir peixes.

Por isso ela avalia que o aumento não foi tão expressivo. Ela ainda acrescenta que próximo da semana santa, o preço vai subir. Ela relata que os peixes vem do Pará, Maranhão e Bahia.

Nadia comenta também que a pescada-amarela é o peixe que mais está ausente no mercado. ?Agora a pescada está em falta, mas o seu preço está na casa de 23 reais, congelada sai 22,00, o quilo.

Já vai fazer um bom tempo que ela está nesse preço. Pescada-amarela faltou hoje sexta-feira vai ter fresquinha?, relata a comerciante, que aguarda a chegada do peixe para o final da semana.

A vendedora Edileuza Carvalho Lustosa também percebeu a falta da pescada-amarela. Além disso, ela observou que o piratinga está vindo em tamanho reduzido. Ela considera que os preços estão estáveis e só devem aumentar na Semana Santa.

A pescada-amarela na sua banca está custando R$ 25,00 com cabeça e R$ 27,00 sem cabeça. Na sua banca, o peixe mais barato é a branquinha que custa R$ 9,00. Os peixes mais vendidos são pescada, piratinga, branquinha. ?Tilapia e tambaqui também estão batendo o recorde. Os outros saem, mas não como esses?, acrescenta.

Para o motorista Genival Martins Pereira, desde o começo do ano ele observou que o preço do peixe tinha subido.

Ele relata também que alguns peixes começam a faltar. Ontem ele buscava tucunaré e não encontrou. Toda semana ele vai ao mercado comprar peixe e dentre os aumentos mais impactantes ele destaca o da sardinha.

?A sardinha que eu comprava por R$ 8,00 já está R$10,00? Durante a piracema, os peixes nadam contra a correnteza em uma subida árdua até as cabeceiras dos rios, para se reproduzirem. Muitos pescadores aproveitam a oportunidade e pescam ilegalmente.

Fonte: Vicente de Paula