Perca o medo da Bolsa de Valores em apenas cinco passos para investidor

Pequeno investidor tome coragem e se aventure em um mercado que pode ser muito rentável para quem tem dedicação e responsabilidade

Muitos pequenos investidores que ainda estão iniciando normalmente têm muito receio de entrar no mercado de renda variável, afinal, se o retorno pode ser muito maior do que a renda fixa ou a caderneta de poupança, por exemplo, o risco também é muito maior.

O educador financeiro e sócio da Mais Ativos, Álvaro Modernell, explicou como perder esse medo da bolsa de valores em apenas cinco passos, para o pequeno investidor tomar coragem e se aventurar em um mercado que pode ser muito rentável para quem tem dedicação e responsabilidade.

1 - Faça cursos sobre a Bolsa de Valores

De acordo com o educador, é fundamental procurar cursos sobre a bolsa de valores para esclarecer dúvidas antes de comprar as primeiras ações. "Principalmente para quem tem medo do risco que a bolsa oferece, esses cursos, que tem na própria Bovespa, inclusive, ajudam a dar segurança ao investidor, pois ele ficará mais familiarizado com o funcionamento desse mercado, com o uso do Home Broker e se sentirá mais confiante para começar a comprar ações", disse. De acordo com ele, cursos de análise técnica e fundamentalista podem agregar muito também ao pequeno investidor, que pode até gostar e começar aos poucos a se tornar um especialista.

2 - Comece com calma até se familiarizar com a bolsa

"É muito importante, para amenizar o medo, ir com calma e com passos pequenos. Não adianta ir com muita sede ao pote. Após os cursos, comece investindo um percentual bem pequeno de seu capital na renda variável para começar a se familiarizar com aquilo tudo. Assim, uma eventual perda será bem amena e o seu medo, consequentemente também, pois você não terá como perder muito", declara Modernell.

3 - Aplique um dinheiro que você não vai precisar no curto prazo

O sócio da Mais Ativos lembrou também que o dinheiro aplicado na bolsa deve ser aquele que você não irá precisar no curto prazo. Um dinheiro que não irá fazer falta de forma alguma, pois assim você não irá ter medo de perdê-lo e conseguirá sentir mais segurança em seu investimento. "Não que você vá colocar um dinheiro lá para perdê-lo, ninguém faz isso, mas se for um capital que não irá lhe fazer falta e nem prejudicar um plano ou sonho, você não irá ter medo ao investi-lo, o que ajuda no sucesso do investimento."

4 - Dê preferência a empresas tradicionais e que vendam ações facilmente

Na opinião do educador, o pequeno investidor que ainda tem medo da Bolsa não deve comprar ações de empresas pequenas e pouco negociadas, pois a baixa liquidez do papel (ações difíceis de vender) irá aumentar a insegurança e o medo do iniciante. "Quem não está familiarizado com a bolsa deve ficar com empresas mais tradicionais (conhecidas na bolsa como "blue chips"). Elas podem não estar indo bem nesse momento, mas a longo prazo o seu risco com este tipo de companhia é bem menor. A chance de dar um problema maior com essas empresas é muito pequeno, sem falar que as ações têm muito mais liquidez. As palavras-chave para esse tipo de investidor têm que ser tradição e liquidez", afirma.

5 - Não acompanhe o andamento de suas ações o dia inteiro

O último passo para quem ainda tem medo da Bolsa de Valores é não ficar acompanhando o andamento das ações compradas o dia inteiro, pois isso aumenta a insegurança e a ansiedade em uma eventual queda momentânea do papel. "Estude bastante e acompanhe a empresa até decidir comprar suas ações, depois da compra, esqueça. Olhe de vez em quando para ver como está indo, mas de forma alguma fique o dia inteiro com o Home Broker aberto vendo o movimento dela a cada segundo, pois isso pode lhe fazer muito mal", diz o educador financeiro.

Fonte: UOL