Pesquisa: De 15 países, Brasil só é mais competitivo do que Argentina

O dado faz parte do estudo Competitividade Brasil 2013, divulgado nesta quinta-feira (12) pela CNI.

O Brasil repetiu o desempenho em competitividade registrado o ano passado e, entre nações com características econômico-sociais ou posicionamento no mercado internacional semelhantes, só ganha da Argentina. O dado faz parte do estudo Competitividade Brasil 2013, divulgado nesta quinta-feira (12) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

O levantamento analisa as condições competitivas de 15 países. O país com maiores condições de concorrência continua sendo o Canadá. Além do Brasil, foram analisados África do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Espanha, Colômbia, Coreia do Sul, Índia, México, Polônia, Rússia e Turquia.

Para chegar ao resultado, a CNI avaliou oito aspectos: disponibilidade e custo de mão de obra, disponibilidade e custo de capital, infraestrutura e logística, peso dos tributos, ambiente macroeconômico, ambiente microeconômico, educação, tecnologia e inovação.

Entre os itens que mais pesaram contra o Brasil estão a elevada carga tributária, disponibilidade e custo de capital, além de infraestrutura e logística, ambiente macroeconômico e educação.

O País melhorou em três pontos em relação à última pesquisa: disponibilidade e custo da mão de obra, ambiente macroeconômico e tecnologia e inovação.

Apesar de ter caído uma posição no quesito tecnologia e inovação, em relação ao estudo anterior, o setor é o que tem a "melhor fotografia" para alavancar os índices do Brasil. Segundo o diretor de Políticas e Estratégia da CNI, José Augusto, houve avanços no Brasil no último ano, mas os outros países foram ainda melhor.

? A nossa velocidade não é suficiente. Outros países caminharam com mais velocidade. Ficamos admirados com certos avanços, mas eles não se comparam com avanços de outros países. Esse [estudo] é um farol. Se eu identifico que tenho um problema, eu crio um sistema para resolver. O que cobramos é que os governos tenham uma agenda para atuar de forma que possamos gerar ganhos para a economia brasileira.

Os países latino-americanos também estão em desvantagem no ranking. O Chile é o país com melhor situação, ocupando o sexto lugar na classificação geral. O México aparece em 12º lugar; Colômbia, em 13º, e a Argentina ocupa a última colocação, em 15º lugar.

Fonte: r7